Agronegócio

"Curso Zero" de Produção de Morango em Substrato forma primeira turma em Teutônia

Grupo da Emater participou da capacitação

Créditos: Assessoria de Imprensa
Capacitação foi no Centro de Formação de Agricultores de Teutônia - Tiago Bald/ Assessoria de Imprensa

Teutônia - Um grupo de extensionistas da Emater/RS-Ascar participou, na quarta e quinta-feira (16 e 17), no Centro de Formação de Agricultores de Teutônia (Certa), da primeira edição do curso de Produção de Morango em Substrato - Sem Resíduos de Agrotóxicos. Chamada de "Curso Zero", a atividade teve o objetivo de qualificar engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas da entidade que, posteriormente, se tornarão multiplicadores dos temas abordados durante a capacitação, com a intenção de constituir referência sobre o assunto nas diversas regiões do Estado.

De acordo com o assistente técnico regional em Sistema de Produção Vegetal da Emater/RS-Ascar, Lauro Bernardi, a realização do curso para extensionistas também teve o objetivo de promover eventuais ajustes para o momento em que a capacitação for oferecida para agricultores. "Foi esse o momento de avaliar, criticar e trocar experiências, com a intenção de levar aos produtores a melhor formação possível a respeito de morango em substrato", enfatiza Bernardi. O primeiro curso para agricultores, com inscrições já encerradas, será realizado no mês de setembro.

Bernardi reforça que a atividade busca atender não apenas a demanda interna dos profissionais da Extensão Rural, face à expansão da atividade, mas também alcançar a demanda interna, de produtores iniciantes. "É uma capacitação com espaço para ações dialógicas, teóricas e práticas em temas, como, elaboração de substrato, bases e estruturas produtivas, principais cultivares, práticas na bancada, manejo fitossanitário, principais doenças do morango, boas práticas agrícolas, potencialidades para o retorno da atividade e comercialização, entre outros", salienta.

Não é por acaso que o coordenador do Certa, Maicon Berwanger, ressalta o fato de as três formações para agricultores previstas para ocorrerem até o final de 2017, já estarem com as vagas todas preenchidas. "Nos últimos anos houve uma ampliação de cerca de 40% das unidades de produção e de 20% de áreas de cultivo no Estado, com demanda garantida, o que reforça o fato de o morango ter se mostrado como uma excelente alternativa para os agricultores" comenta Berwanger.

Além de extensionistas das regiões de Erechim, Pelotas, Soledade, Porto Alegre e Lajeado, a qualificação contou com a participação do assistente técnico estadual da Emater/RS-Ascar, José Enoir Daniel, dos gerentes regional e adjunto da entidade Marcelo Brandoli e Carlos Lagemann e do assistente técnico regional na área de Sistema de Produção Vegetal, Derli Bonine. Brandoli valorizou a iniciativa, salientando o pioneirismo da Emater/RS-Ascar nas ações voltadas ao cultivo do morango em substrato. "É um campo que certamente pode avançar também no Vale do Taquari, assim como ocorreu no Vale do Caí", afirmou.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...