Agronegócio

Evento marcará inauguração de usina solar fotovoltaica na Cooperagri de Teutônia

Também haverá tarde de campo em que será abordado o Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar


- divulgação

Teutônia - Um evento organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Emater/RS-Ascar e Prefeitura de Teutônia marcará a inauguração da usina solar fotovoltaica instalada na sede Cooperativa Agroindustrial São Jacó (Cooperagri), de Teutônia. A atividade ocorre no dia 8 de junho, a partir das 13h30min. Além da inauguração do sistema, haverá tarde de campo em que serão abordados o Programa de Gestão Sustentável da Agricultura Familiar (PGSAF) do Governo do Estado, a produção da energia solar fotovoltaica, a armazenagem de grãos e o manejo de solos. No mesmo dia estará disponível Balcão de Negócios até as 21h.

Parceira da ação, a empresa Solbras firmou contrato de cooperação, no último ano, com a Emater/RS-Ascar. "O objetivo é o de qualificar a elaboração de projetos de crédito que visem a redução de gastos, além de garantir o acesso ao serviço de assistência técnica e extensão rural e social permanente", resume o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli. No caso da Cooperagri, o aporte financeiro via Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Estabelecimentos Rurais (Feaper) foi de R$ 499.800,00 - com bônus adimplência de 80% e possibilidade de quitação da dívida em até cinco anos.

 

De acordo com o vice-presidente da cooperativa, Jonas Müller, cerca de 90% da demanda energética da entidade - que conta com cerca de 380 associados - será suprida com o uso da energia fotovoltaica. Em média, os custos com energia elétrica totalizam R$ 15 mil por mês. Com a nova fonte de energia, o valor será reduzido para R$ 3 mil por mês. A área do terreno em que as placas foram instaladas é de 850m². "Faz parte da missão da cooperativa agregar valor ao produto final dos nossos associados, gerando desenvolvimento na localidade, no município e na região", afirma Müller.

 

O assistente técnico regional da área de Manejo de Recursos Naturais da Emater/RS-Ascar, Ricardo Martins, reforça que o sistema funcionará como um gerador que produz energia a partir da luz solar e pode, assim, ser considerada uma fonte inesgotável de energia. "Os painéis fotovoltaicos funcionam por muitos anos sem manutenção e sem ruído, pois não possuem partes móveis, rolamentos ou engrenagens", ressalta. "Eles podem produzir energia por até 50 anos, podendo ser armazenada em baterias ou injetada diretamente na rede elétrica convencional", explica.

 

Brandoli celebra o fato de esta ser a primeira usina de energia fotovoltaica instalada no Vale do Taquari, lembrando ainda que o sistema possibilita a produção de energia para qualquer atividade, como irrigação, secagem e armazenagem de grãos, estufas, criação intensiva de animais e agroindústrias, entre outras. "Tudo isso sem impactar o meio ambiente, com diminuição de custos de produção e melhoria do planejamento e da gestão da propriedade para os agricultores", observa, reforçando ainda o fato de os equipamentos não dependerem de rede de energia elétrica para funcionar, podendo ser instalados em lugares sem acesso à eletrificação.

Comentários

VEJA TAMBÉM...