Agronegócio

Horta do Seu Guido é protagonista na vizinhança há dez anos

Diversidade de frutas e verduras são cultivadas na Rua Cristiano Grün

Créditos: Carolina Schmidt
- Carolina Schmidt

Lajeado - A horta do Seu Guido Tadeu Kreutz (73) chama atenção das pessoas que passam pela rua Cristiano Grün. A plantação de figo, bananeira, acerola, brócolis, beterraba, alface, cenoura, couve, cebola, entre outras variedades de furtas e verduras, fica no Bairro Florestal, nas proximidades da Avenida Benjamin Constant.

No início, o aipim era o protagonista da horta, mas ao longo dos anos a quantidade de alimentos semeados começou a variar. O capricho e organização são marca registrada em meio às mudas e árvores de diversos tamanhos.

Todas as manhãs, seu Guido é presença certa no quintal. Há dez anos, além de plantar, ele mantém a horta organizada e limpa. Natural de Lajeado, casado e pais de dois filhos, ele começou a plantação no terreno a convite do proprietário.

"Ele queria que o lugar não ficasse abandonado. Gosto muito daqui. Enquanto eu puder, vou plantar, colher e cuidar. Todos que passam aqui elogiam. Faço bem feito, é preciso para dar certo. Se a gente se compromete com algo, tem que ser bem feito", diz o aposentado com orgulho.

O que colhe na horta, Kreutz entrega para pessoas da família, alguns amigos e conhecidos. Os alimentos também vão para a mesa de um restaurante que fica nas proximidades. Além de cuidar da horta no Florestal, seu Guido também possui outra plantação perto de sua residência no antigo estádio do Lajeadense.



Paixão pela terra vem de berço
A paixão pela terra, vem desde a infância, e o acompanha ao longo das sete décadas de vida. Quando criança, ele auxiliava o pai nos trabalhos de casa. "Nas terras do meu pai, aprendi a capinar, trabalhar na roça cuidar dos animais. Sempre gostei disso e vale como uma terapia. É uma alegria ver as plantas crescerem. Isso vem de berço."

Mesmo na época em que Kreutz trabalhava em fábrica de móveis, cultiva o gosto pela agricultura com a plantação de milho, criação de frangos e codornas. A dedicação era nas horas vagas e aos finais de semana.

Com a aposentadoria no ano de 1994, apostou, mais uma vez, nas atividades ligadas com a terra. Passou a fazer a Jardinagem com cortes de grama e limpezas em terrenos. Ele costuma fazer o serviço no bairro para pessoas conhecidas. Anos atrás, exercia a atividade também no São Cristóvão. "Sou muito feliz com o que faço. Enquanto eu puder, estarei na ativa".  

Comentários

VEJA TAMBÉM...