Colunistas

Lajeadense

Helena Baségio [email protected]


É uma estreia diferente a do Lajeadense. Neste domingo, a equipe entra em campo para o primeiro jogo pela Copa Seu Verardi em situação jamais vivida pelo clube: com um time montado em parceria com o Juventude e com uma empresa, a LA Sports. O foco é vencer a Copinha para voltar ao cenário do futebol nacional. O time é bom, mas os adversários da chave também são. E quem deve ganhar com isso é o público, com o prenúncio de grandes jogos. Todos ao Estádio Alviazul, então!

Apoio

Como sempre, a comunidade está convidada, ou convocada, a apoiar o nosso representante no futebol profissional. O jogo começa às 15h30min e a direção fez uma bela promoção: o filho que comprar um ingresso poderá levar o pai como acompanhante, de graça, em uma homenagem ao Dia dos Pais. Sócios em dia também tem ingresso de graça garantido para os seus papais. E quem adquirir seu bilhete antecipadamente, consegue por um valor bem menor. Arquibancada, R$ 10 e cadeira, R$ 20, no seguintes pontos de venda: secretaria do Lajeadense, Escola de Futebol ALE/Lajeadense, Lojas DMF (Shopping e Centro), Lotérica Resolve, Mercado do João (Bairro das Nações), La Mafia Barbearia e Mercado Languiru (Cruzeiro do Sul).

Copa do Brasil

O Inter ganhou do Cruzeiro fora de casa, derrubou Mano Menezes e está a um passinho da final da Copa do Brasil. O Grêmio começa a decidir seu futuro nesta competição na próxima semana, em dois duelos com o Athletico do Paraná. E a possibilidade de um Gre-Nal na final é cada vez mais concreta. Por via das dúvidas, meus amigos frentistas do Posto Florestal estão se adiantando e providenciando consultas com o cardiologista?

Brasileirão

Se a CBF não se mobilizar e tornar o Brasileirão mais atrativo, esta competição perderá sua importância. Como Copa do Brasil e Libertadores pagam prêmios muito superiores e tem outra fórmula de disputa, os clubes do país lhes dão prioridade e relegam a competição nacional, escalando reservas. Está na hora da CBF abrir os cofres? dinheiro é o que não falta por lá...

Sobrecarga

Por falar em competições, é um absurdo equipes brasileiras terem que disputar três competições de alto nível ao mesmo tempo. E não adianta dizer que os jogadores têm mordomias, o melhor tratamento, a melhor comida, os melhores hotéis. Jogar cansa, viajar cansa, viver sempre longe de casa estressa, a pressão por bons resultados estressa. Se fazer compras, uma dos grandes prazeres da vida, cansa, imaginem esta rotina?


Helena Baségio

Comments

SEE ALSO ...