Colunistas

Complexo Avícola da Dália deve ser inaugurado em 2019

Em obras no município de Arroio do Meio, o empreendimento está orçado em R$ 95 milhões, financiados pelo BRDE


Complexo para as aves
A previsão de início das operações do Complexo Avícola da Dália Alimentos é meados de 2019. Em obras no município de Arroio do Meio, o empreendimento está orçado em R$ 95 milhões, financiados pelo BRDE. Recentemente, as lideranças das cidades parceiras do Projeto Frango de Corte da Dália Alimentos conheceram as instalações, com área total construída de 17 mil metros quadrados para abate de 55 mil frangos diariamente na fase inicial.
Seis municípios já estão definidos para sediar um condomínio cada: Mato Leitão, Marques de Souza, Venâncio Aires, Vespasiano Corrêa, Anta Gorda e Encantado, que estuda a instalação de um segundo condomínio. Cruzeiro do Sul, Muçum, Roca Sales e Travesseiro demostraram interesse e estão verificando a viabilidade de aquisição de área de terra para implantação das vagas restantes. No total serão nove condomínios e cada um terá oito pavilhões com capacidade para 275 mil aves.

 

Nova fase
Pouco mais de um ano depois da inauguração do complexo fabril de 22 mil metros quadrados, a Girando Sol anuncia novidades. A empresa de Arroio do Meio dá início a uma nova fase a partir do reposicionamento da marca Girando Sol, estratégia comum de grandes players do mercado. O trabalho foi coordenado por uma empresa contratada de São Paulo, a ACDI strategy design.
O objetivo é avançar e conquistar vez mais lares com seus produtos de limpeza doméstica. A meta é dobrar o faturamento nos próximos dez anos.

Em tempo
Com 11 linhas no mercado, hoje seus produtos têm presença expressiva na Região Sul do Brasil. Dez linhas estão entre as mais vendidas (entre segunda e quinta colocação), conforme pesquisa da Nielsen. A Girando Sol ainda está presente nos estados do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, além de exportar para vários países.

 

Para empreender
Têm municípios da região entre os reconhecidos por suas iniciativas de estímulo ao empreendedorismo. São eles: Estrela, Lajeado e Taquari. Ontem à noite, junto com mais 32 cidades, elas foram homenageadas durante o Encontro Estadual de Atores do Desenvolvimento, em Santa Maria.
O mérito se dá pela implantação de ações e políticas para estimular o desenvolvimento e desburocratizar processos de legalização das empresas.


Marketing do vinho
A ordem é aumentar o número de consumidores de vinho e popularizar o produto. E para isso o marketing do vinho deverá ser totalmente reformulado. A necessidade de uma nova abordagem para o vinho foi assunto do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) na Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul) ontem.
Segundo dados do Ibravin, a média per capita de consumo da bebida pelos brasileiros é de apenas 1,8 milhão de litros. Para comparar, basta lembrar que a média de consumo dos países vizinhos (Argentina e Uruguai) é de 20 milhões de litros por ano. De acordo com o presidente do Ibravin, Dirceu Scottá, um dos desafios para alterar essa realidade é modificar as alíquotas de imposto sobre o produto no país. Segundo ele, atualmente, o Brasil tem 27 tabelas de tributação para o vinho, variando conforme o Estado comprador. Na média, entre 50 e 57% do valor do produto é direcionado para o pagamento de tributos.


EAD com novo polo

A Universidade do Vale do Taquari (Univates) e o Colégio Sinodal Gaspar Silveira Martins assinaram convênio para a implantação de um polo de educação a distância em Venâncio Aires. Com isso, fica confirmado o quinto polo Univates EAD, também disponível em Serafina Corrêa, Teutônia, Guaporé e Lajeado (Polo Matriz).


Sem fronteiras
... A Banrisul Consórcios apresentou aumento no número de cotas de 20,4% no segmento de imóveis e de 19,8% no de automóveis, de janeiro a setembro deste ano, em relação ao mesmo período de 2016. No total, são 50,2 mil cotas ativas, que representam R$ 3,1 bilhões em volume de cartas de crédito.

... O BNDESPar, área de participações acionárias do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, vai investir até R$ 40 milhões em fundo para empresas incubadoras e parques tecnológicos, de acordo com operação autorizada ontem pela diretoria do banco. O dinheiro será aplicado em cotas do Fundo de Investimento em Participações Inova Empresa MPE Capital Semente - Primatec. O valor equivale a 40% do patrimônio comprometido no fundo.

 

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...