Colunistas

Faca, queijo e mudanças

Créditos: Gilberto Jasper

"Quem tem que mudar é você, e não 2019!". Entre tantas mensagens, vídeos e cards recebidos no período de festas de final de ano, esta frase foi marcante. Afinal, é comum que criemos uma enorme expectativa a partir da simples alteração de calendário, mas nos esquecemos de olhar para dentro de nós.
De nada adianta projetar objetivos sem alterar nosso comportamento. "Condutas repetidas levam a resultados repetidos", ou seja, manter o mesmo estilo de vida não vai gerar transformações, mudanças dignas de louvor daqui a 12 meses.
Mudar é muito mais difícil que parece. Duvide e aí pense em alterar uma única rotina do seu dia. Faça um check list mental desde a hora que você acorda até deitar. Com exceções pontuais, motivadas por motivos alheios à nossa vontade, fazemos tudo igual por décadas ou até durante a vida inteira.
Alterações profundas acontecem como resultado, por exemplo, de um grave problema de saúde. Isto impõe mudança de hábitos alimentares, olho atento em exercícios físicos, no sono de qualidade e maior atenção no conceito de qualidade de vida na prática.
O uso massivo das redes sociais gerou um grupo de usuários que adora slogans, frases feitas, citações filosóficas e motes que não se encaixam na vida real. Ao abrir um livro esquecido numa gaveta às vezes deparamos com marcadores de páginas com um ditado célebre. Aí lembramos que um dia, ao comprar a obra, prometemos adotar o conteúdo como bússola. Passadas algumas semanas sequer recordamos da "novidade" para voltar à vidinha de sempre.
Longe de pessimista esta crônica é uma tentativa de estimulo - inclusive para mim - para instigar à reflexão, planejamento e execução de pequenas mudanças ao longo de 2019 que surge novinho diante dos nossos olhos. São 12 meses "zero-quilômetro", tipo um caderno novinho, daqueles que a gente protegia com uma capa de plástico transparente onde se apunha uma etiqueta caseira com nosso nome para se exibir no primeiro dia de aula.
Os tempos são bicudos. A intolerância assusta. Há impaciência, incoerência, violência verbal, física e psicológica por todo lado. É difícil permanecer íntegro e fiel aos princípios humanistas. Mas não podemos esmorecer. Dizem que o pessimista é um otimista bem informado, mas desconfie.
Apesar dos pesares creio em 2019 graças às mudanças interiores que devem pautar os anseios de melhora. A faca e o queijo estão na mão de todos nós. Mãos à obra!


Gilberto Jasper

Comentários

VEJA TAMBÉM...