Colunistas

Novos tempos, novas armas

Créditos: Marcos Frank

"Já não se confia nem nos próprios fatos. Há quem chame isso de populismo, mas na verdade é descrédito das instituições." Noam Chomsky

Agora que acabaram as eleições, muitos dos usuários mais inocentes das redes sociais acharam que tudo iria voltar ao normal com generalidades, frases de efeito e comentários banais. Ao invés disso, o que vemos são palavras como resistência, neonazismo, petralhas, #elenão, #elesim, #forapt e por aí vai.

Finda a era em que confiávamos em jornalistas e na mídia para filtrar o universo, o que nos sobra é um mundo de boatos, rumores e desinformação.

É bom se acostumar desde já com algumas expressões que ajudam a entender esse incrível mundo novo:
"Guerra de informações" é um conceito que envolve o uso e o gerenciamento da tecnologia da informação e comunicação em busca de uma vantagem competitiva sobre um adversário. A guerra de informação é a manipulação da informação confiada por um alvo sem a consciência do alvo, de modo que o alvo tome decisões contra o seu interesse, mas no interesse daquele que conduz a guerra de informação.

Como resultado, não está claro quando a guerra de informação começa, termina e quão forte ou destrutiva ela é. A guerra de informação pode envolver a coleta de informações táticas, garantia de que as informações são válidas, divulgação de propaganda ou desinformação para desmoralizar ou manipular o inimigo e o público, prejudicando a qualidade da informação da força opositora e a negação da informação.

O "assassinato de reputação" é um processo deliberado e sustentado, que destrói a credibilidade e a reputação de uma pessoa, instituição, organização, grupo social ou nação. Agentes de assassinatos de reputação empregam uma mistura de métodos abertos e dissimulados para atingir seus objetivos, como levantar falsas acusações, plantar e fomentar rumores, e manipular informações.

Assassinato de reputação de uma pessoa pode envolver exagero, meias verdades enganosas ou manipulação de fatos para apresentar uma imagem falsa da pessoa visada.

"Manipulação da internet" refere-se à manipulação de informações na internet. Tal manipulação pode ser conduzida para fins de propaganda, descrédito, prejudicar competidores corporativos ou políticos, melhorar a reputação pessoal ou de marca ou o simples trollagem.

"Filtro Bolha": imagine um mundo onde todas as pessoas à sua volta discutem os mesmos assuntos, têm as mesmas opiniões e, portanto, concordam com você. Ouvem as mesmas músicas, leem os mesmos livros, trabalham no mesmo segmento. Com a ajuda de algoritmos, os filtro bolha influenciam as escolhas dos usuários e a percepção da realidade, dando a impressão de que um determinado ponto de vista ou representação é amplamente compartilhado.

"Bot", diminutivo de robot, também conhecido como internet bot ou web robot, é um software criado para simular interações humanas. Um bot social é empregado em redes sociais para gerar mensagens automaticamente (por exemplo, tweets) ou em geral defender certas ideias, campanhas de apoio e relações públicas, seja atuando como um " seguidor" ou até mesmo como uma conta falsa que reúne seguidores em si. Atualmente, os bots sociais podem gerar personas convincentes da internet que são bem capazes de influenciar pessoas reais, embora nem sempre sejam confiáveis.


Marcos Frank

Comentários

VEJA TAMBÉM...