Colunistas

O Sobrenatural de Almeida

Seria simplista demais dizer que em qualquer esporte as chances de vitória são sempre iguais para ambas as equipes


"As pessoas inventam estatísticas para provar qualquer coisa. 40% das pessoas sabem disso!" Homer Simpson

Seria simplista demais dizer que em qualquer esporte as chances de vitória são sempre iguais para ambas as equipes.

Também seria tolice dizer que um time tem 100% de chances de vitória ou que o outro time não tem nenhuma chance.

Ah, mas são onze para cada lado dirão alguns, enquanto alguns racionalizarão que fulano é melhor que ciclano e assim por diante.

Se fossem só números e estatísticas nenhum jogo precisaria ser jogado. Bastaria olhar os números, mas...

Quem em sã consciência conseguiria prever os sete gols que a Alemanha aplicou na seleção brasileira na última copa do mundo?

Ou quem seria capaz de adivinhar a convulsão de Ronaldo fenômeno horas antes da final da copa do mundo de 1998 e de quanto essa crise mudaria o resultado daquele jogo?

Aliás, aquele foi um jogo onde Zidane brilhou e mostrou toda diferença que sua inteligência e seu futebol poderiam fazer, marcando dois gols de cabeça.

E foi esse mesmo Zidane que oito anos depois, na final da copa do mundo de 2006 mais uma vez acertou uma cabeçada, só que dessa vez no peito do zagueiro italiano Marco Materazzi, fato de fundamental importância na história daquele jogo e no seu resultado final.

Anos mais tarde Materazzi disse que apenas mexeu com a irmã do franco-argelino.

Hoje Zidane terá papel importante ao montar seu poderoso Real Madrid para enfrentar o Grêmio.

Assim como Renato será importante montando um time capaz de superar um adversário muito mais poderoso.

É por ai que começará a história do campeão mundial de clubes de 2017.

Ou melhor, já começou: Renato, um ex-jogador com passado de craque conseguiu fazer de jogadores limitados um time capaz de estar em campo nesse histórico 16/12/2017.

Zidane, um ex-jogador sempre listado entre os melhores que o futebol já produziu, recebeu em seu time alguns dos melhores jogadores da atualidade.

Seu plantel titular tem valor de mercado dez vezes superior ao do plantel gremista.

Apenas um jogador, Cristiano Ronaldo, escolhido como melhor jogador do ano por cinco vezes, vale o dobro do que todos os titulares tricolores.

São números avassaladores, mas não é só isso: o Real Madrid viu suas receitas crescerem em relação ao último ano, recebendo 674,6 milhões de euros (aproximadamente R$ 2.5 bilhões) e a diretoria pode ter 178 milhões de euros (cerca de R$ 663,35 milhões) para usar em contratações na temporada 2017/2018.

Assim como o valor de mercado de seu plantel também o orçamento do Grêmio é bem mais terráqueo que as receitas dos merengues e deve fechar o ano em 330 milhões de reais o que representa a oitava parte de tudo que arrecada o time espanhol.

Orçamento maior, plantel bilionário, melhor jogador do mundo em campo... tudo isso torna o Real Madrid o grande favorito para o titulo em disputa.

O Grêmio amanhã será o Davi da famosa história que remete a todas as lutas passadas e futuras sobre inimigos de diferentes estaturas.

Além disso há ainda o imponderável, o inexplicável, o assombroso de cada jogo e cada time. A convulsão de Ronaldo, a mordida de Suarez e a cabeçada de Zidane.

O genial Nelson Rodrigues criou um fantasma, o Sobrenatural de Almeida que era responsável por tudo de ruim que acontecesse contra o Fluminense.

Nada nos impede de torcer que o Sobrenatural de Almeida do Real Madrid dê as caras hoje a tarde no estádio Jegue Zayed, em Abu Dhabi.


Marcos Frank

Comentários

VEJA TAMBÉM...