Economia

Churrasco de costela 8% mais caro

Paleta bovina é outro corte que teve alta em março, 28,16% no comparativo com o mês anterior


Paleta e costela puxaram o aumento da cesta no mês de março - Lidiane Mallmann/arquivo

Lajeado - Os lajeadenses que aproveitaram o feriado de Carnaval para fazer uma bela churrascada precisaram desembolsar, em média, 8,12% a mais. Mas não foi apenas o preço da carne que subiu. O valor da cesta básica, que custava, em média, R$ 238,35, em fevereiro, passou a R$ 245,98, em março.

O valor representa uma alta de 3,20%, mantendo o ritmo de aumento que já vinha se estabelecendo no mês anterior, quando fechou 3,72% mais cara.
Dos 34 produtos analisados, 16 aumentaram de preço, seis se mantiveram iguais e 12 ficaram mais baratos no comparativo com fevereiro.

Em fevereiro, a carne teve redução de 4,18% no preço médio, mas o aumento de março ultrapassou a baixa anterior. O destaque fica para a paleta bovina, que teve alta de 28,16%, com preço médio de R$ 17,29.
A massa com ovos, que em fevereiro subiu 24,81%, em média, teve uma queda de 12,4%, em março, fechando em R$ 2,92.

O açúcar refinado, que já havia oscilado em fevereiro, voltou a subir, finalizando março 0,84% mais caro (R$ 2,39). O café moído de 500g ficou 14,36% mais barato, com preço médio de R$ 9,78. Quem manteve a média de preço do mês anterior foi o achocolatado de 400g, que permaneceu em R$ 6,08.


O setor de hortifrutigranjeiros segue o ritmo de reajuste iniciado em fevereiro - quando alcançou 30% de aumento - encerrando março com preços 6,95% mais elevados. Grande vilão da cesta básica de fevereiro, o tomate permanece subindo. No mês anterior, o reajuste foi de 126,29%, com preço médio de R$ 5,25. Em março, subiu 25,14%, fechando com preço médio de R$ 6,57. A campeã da alta de preços no hortifrúti foi a cebola, com reajuste de 29,65%, e preço médio de R$ 4,11. Os ovos de granja também mantiveram o ritmo de aumento, passando de R$ 5,08, em fevereiro para R$ 5,92, em março.


Além da paleta bovina, o quilo da costela também ficou mais salgado no mês de março (R$ 19,61), um reajuste de 18,06%. Com custo médio de R$ 11,47 o quilo do pernil suíno aumentou 16,56%. A carne moída sofreu reajuste de 10,98%, fechando março com preço médio de R$ 23,23 o quilo. A redução do setor de carnes ficou por conta coxão de dentro, com preço médio de R$ 23,59 o quilo.


O setor de higiene não apresentou oscilações expressivas. O sabonete teve aumento de 14,12%, encerrando março a R$ 2,02, em média. Já a água sanitária, o detergente líquido e o xampu mantiveram a média de preços de fevereiro. O creme dental ficou 7,52% mais barato, com preço médio de R$ 3,32. O sabão em pó também apresentou uma queda de 3,51%, encerrando março com preço médio de R$ 10,44.

 

Saiba mais

A pesquisa da cesta básica de O Informativo do Vale é realizada mensalmente e avalia o desempenho do custo de itens de alimentação, higiene e limpeza.

O levantamento foi feito na terça-feira, 26 de março, em três lojas de redes de supermercado de Lajeado. As marcas pesquisadas são sempre as mesmas, líderes de mercado em seus segmentos.

 

Comments

SEE ALSO ...