Economia

Frigorífico de Aves da Languiru aprovado em auditoria do governo iraquiano

Unidade industrial atende exigências de clientes e consumidores muçulmanos

Créditos: AI Languiru
Veículos e postos de armazenagem no Iraque identificados com a marca Languiru em suas fachadas e carrocerias - Cooperativa Languiru/divulgação

Westfália - Recentemente, a Languiru recebeu a visita de autoridades sanitárias do órgão fiscalizador do Governo do Iraque, parlamentares e representantes de clientes. A comitiva realizou auditoria no frigorífico de aves da cooperativa, em Westfália, coletando informações e avaliando especialmente o processo de abate Halal, que segue os princípios do Islã e atende exigência dos clientes e consumidores de cortes de carne de frango comercializados com os muçulmanos. A auditoria possibilita que o abatedouro mantenha sua habilitação Halal para exportações ao Iraque.

A comitiva de auditores e autoridades governamentais iraquianas foi recepcionada pelo presidente, Dirceu Bayer, e, pelo vice-presidente, Renato Kreimeier, e acompanhada pela gerência, corpo técnico e de qualidade do frigorífico de aves, por representantes da trading internacional da Languiru, a empresa Four Import Export, e pelo supervisor de abate Halal sediado junto à unidade industrial, Said El Moutaqi.

"O grupo em missão de auditoria teve como foco avaliar todo o processo de abate, especificamente o abate Halal. Na visita ao frigorifico, mostraram-se bastante satisfeitos com a qualidade dos produtos e processos. Entre os pontos fortes e importantes observados, os auditores elogiaram o processo produtivo. A Languiru tem motivos para se orgulhar do sucesso da missão", ressalta Said.


Languiru sem fronteiras

A Languiru atende os mercados nacional e internacional, com portfólio de cortes de aves e de suínos exportados para mais de 40 países. No último exercício foram comercializadas mais de 25,1 mil toneladas de produtos de frango e de suínos no mercado externo, que representaram R$ 128,8 milhões em negócios.

Nesse contexto, os maiores mercados compradores dos produtos Languiru são o Oriente Médio, a África, o Extremo-Oriente, o Leste Europeu e a América Central. Para cada mercado, a cooperativa respeita as questões culturais, religiosas e mercadológicas.


Mercado e parceiro iraquiano

A cooperativa conta com clientes e parceiros de longa data no Iraque. Inclusive, veículos e postos de armazenagem estão identificados com a marca Languiru em suas fachadas e carrocerias. A negociação com o mercado iraquiano e demais países importadores ocorre via trading internacional (empresa especializada em negociações de exportação) e parcerias com clientes locais, responsáveis pela distribuição dos produtos Languiru nesses países.

Por ocasião do aniversário de 60 anos da cooperativa, comemorados em 2015, a Languiru recebeu a visita do empresário iraquiano e parceiro da cooperativa, Farhat Saleem Mohammed e seu filho Mohammed Farhat Saleem Farhat. Ele é distribuidor exclusivo de produtos da marca Languiru e está localizado na cidade de Zakho, região de Dahuk, próximo à fronteira com a Turquia, no Iraque. O empresário é conhecido como "Farhat da Languiru", tamanha a sua identificação com a cooperativa teutoniense. Naquela oportunidade, ele destacou as belezas naturais e a receptividade das pessoas. "Há mais de dez anos compro produtos Languiru, de excelente qualidade. Ao longo dessa década abrimos novos mercados para o frango. Os produtos Languiru são muito bem conceituados no Iraque", revelou.

O Brasil possui um grande potencial de crescimento no mercado de abate Halal, uma vez que um terço da população mundial é muçulmana e os países islâmicos são importadores de alimentos.


Abate Halal

O abate do frango no Frigorífico de Aves da Languiru segue o que preza o abate Halal, que em árabe significa "legal" ou "permitido". Apenas os alimentos halal são permitidos para o consumo dos muçulmanos, que são os obtidos de acordo com os preceitos e as normas ditadas pelo Alcorão Sagrado e pela Jurisprudência Islâmica. Animais como os bovinos, caprinos, ovinos, frangos podem ser considerados halal desde que sejam abatidos segundo os Rituais Islâmicos.

De acordo com as exigências das embaixadas dos países islâmicos, o abate Halal deve ser realizado em separado do não-Halal, sendo executado por um mulçumano mentalmente sadio, conhecedor dos fundamentos do abate de animais no Islã.

Entre as normas básicas a serem seguidas estão o abate somente de animais saudáveis, aprovados pelas autoridades sanitárias e que estejam em perfeitas condições físicas; a frase "Em nome de Alá, o mais bondoso, o mais Misericordioso" deve ser dita antes do abate; os equipamentos e utensílios utilizados devem ser próprios para o abate Halal, com lâmina higienizada, bem afiada e sem serra; e na sala de abate da planta industrial o frango deve estar voltado à kAABA (QIBLA) que fica na cidade de Meca, na Arábia Saudita, considerada sagrada para os muçulmanos. Um dos preceitos desse abate é a insensibilização dos animais, reduzindo o sofrimento, permitindo maior velocidade de abate e elevando o padrão humanitário.

Na unidade industrial da Languiru no município de Westfália, inspetor muçulmano acompanha todo o abate e é responsável por verificar os procedimentos. Os produtos halal são certificados e rotulados com selo de identificação específico.

Comentários

VEJA TAMBÉM...