Economia

Salário mínimo aumentou R$ 17

Reajuste entrou em vigor nesta segunda-feira

Créditos: Matheus Aguilar
AUMENTO: fórmula que define o reajuste vale até 2019 - Lidiane Mallmann

Vale do Taquari - Desde segunda-feira, está em vigor o novo valor do salário mínimo. Através de decreto assinado na última sexta-feira de 2017 pelo presidente Michel Temer, o salário mínimo foi fixado em R$ 954, R$ 17 a mais que aquele que vigorava antes da virada do ano e R$ 11 a menos do que o aprovado inicialmente no orçamento federal para este ano. Em 24 anos, foi o menor valor do reajuste.

Para o presidente da Federação dos Trabalhadores Aposentados e Pensionistas do Estado do Rio Grande do Sul (Fetapergs), José Pedro Kuhn, o reajuste apresentado é desrespeitoso. "Tudo subiu, e o salário mínimo ficou praticamente congelado. Nós não acreditamos neste percentual apresentado pelo governo. Estimamos que com este reajuste apresentado, R$ 8 bilhões deixam de ser movimentados na economia do país", descreve.

Kuhn faz referência às reduções feitas pela União. Pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o mínimo para 2018 deveria ser de R$ 979. Uma primeira alteração previa o salário mínimo de R$ 969, que no final de outubro teve novo corte, projetando o valor para este ano em R$ 965, número que chegou a ser aprovado pelo Congresso no orçamento da União para 2018. "O aumento pode parecer baixo, mas é um grande volume de dinheiro que deixa de ingressar no comércio. Boa parte do salário mínimo é utilizada para comprar medicamentos e alimentação. Então o comércio também sai perdendo com um aumento tão pequeno", destaca.

Moradora do Bairro Floresta, a aposentada Margane Von Frühauf (64), relata que o acréscimo de R$ 17 no salário mínimo nem é sentido. "A gente nem sente que teve aumento. Todas as outras contas subiram tanto que nem dá para notar que teve reajuste", diz. Ela destaca que a situação é ainda pior para quem usa medicamentos. "Para quem tem que comprar remédios, esse aumento aí não paga nada. A verdade é que não mudou nada", frisa.

Saiba mais
Como é calculado o reajuste
A fórmula que corrige o mínimo leva em conta a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, calculado pelo Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE), e o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. Em 2016 o PIB foi negativo e, por isso, o reajuste do salário mínimo foi calculado somente pelo INPC, estimado pelo governo em 1,81%.

Cerca de 45 milhões de pessoas no Brasil recebem o salário mínimo, entre aposentados e pensionistas.

A atual fórmula de reajuste do salário mínimo foi criada em 2012, ainda no governo da então presidente Dilma Rousseff, e deve valer até 2019.

Com o reajuste abaixo do previsto, o governo federal deve economizar cerca de R$ 3,3 bilhões este ano, já que os benefícios de aposentados e pensionistas são pagos, em parte, pela União.

Comentários

VEJA TAMBÉM...