Esporte

Atleta formada pela Avates disputa Superliga

Aos 20 anos, Amanda Rodrigues Sehn fechou contrato com o Osasco/Audax para a próxima temporada

Créditos: da redação
Na última temporada, Amanda atuou pelo Esporte Clube Pinheiros - Ricardo Bufolin/divulgação

ESTRELA | Há mais de dez anos, quando jogava vôlei por diversão, Amanda Sehn não imaginava que o esporte seria a sua profissão. "Com o tempo se tornou minha paixão e não me imagino mais sem jogar", revela a atleta que atuará pelo Osasco/Audax na próxima Superliga. Antes de fechar contrato com a equipe mundialmente conhecida e que coleciona títulos, Amanda atuou pelo São Caetano e pelo Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo, e também pela Seleção Brasileira de base. "Comecei jogando nas escolinhas da Avates e aos poucos fui subindo até chegar nas categorias que jogavam os campeonatos da Federação Gaúcha e alguns Brasileiros. Também foi a época em que fui convocada para as seleções de base do Brasil, onde joguei de 2013 a 2017", conta.

Em 2017, Amanda jogou pelo Esporte Clube Pinheiros, onde permaneceu por dois anos e sagrou-se campeã paulista. A partir de então, passou a jogar pela Superliga e foi o começo de um sonho de trabalhar com pessoas renomadas no Brasil e no mundo. "Estou muito animada e ansiosa. Vou jogar com atletas que via na televisão desde pequena e era fã. Agora estou dividindo a quadra com elas. É tudo muito gratificante, vai ser um passo muito importante na minha carreira. Tudo isso é resultado de muito trabalho e isso me deixa muito feliz", declara.

 

Trajetória

Amanda é "cria" das quadras do ginásio Ito João Snel, onde treinou desde os nove anos. Com o tempo, a atleta passou a atuar em diversos campeonatos e ganhou projeção. "O projeto da Avates, com o apoio da prefeitura de Estrela, junto com o Colégio Martin Luther e as empresas parceiras do projeto, tem uma grande importância na minha carreira", afirma.

Ela conta que na época teve grandes profissionais ao seu lado e, por conta disso, aprendeu muito como atleta e ser humano, além de ter uma ótima estrutura, o que, para Amanda, é muito importante para um atleta. "Sou muito grata por tudo que eles fizeram por mim, eles têm um grande peso na minha carreira, sem eles, nada teria sido possível."

 

Ex-técnico

O técnico Rodrigo Rother acompanhou o desenvolvimento de Amanda e conta que sempre viu potencial para o voleibol profissional na atleta, já que desde a base teve destaque e convocações para a Seleção Brasileira. "Entre a base e o profissional há uma lacuna muito grande, a qual poucos conseguem superar. Fico feliz que a Amanda tenha conseguido e na esperança que ela chegue ainda mais longe. Tenho um carinho muito grande por ela e torço para que realize todos seus sonhos."

 

Comments

SEE ALSO ...