Esporte

Atletas voam baixo em Nova Bréscia

Cerca 80 ginastas de quatro equipes da região participam do Campeonato Estadual de Trampolim

Créditos: Julian Kober
POTENCIAL: Roberta Tamara Silva (15) é uma das atletas que treinam em Nova Bréscia - Julian Kober

Nova Bréscia - O município de Nova Bréscia foi palco da segunda etapa do Campeonato Estadual de Trampolim. Cerca de 80 ginastas da equipe municipal, do Colégio Evangélico Alberto Torres (Ceat) e Universidade do Vale do Taquari (Univates) - de Lajeado - , mais do Colégio Mauá, de Santa Cruz do Sul, participaram da disputa individual e sincronizada no Ginásio Poliesportivo Municipal Adelson Mezacasa. O resultado deve ser divulgado pela organização nos próximos dias.

Aposta no esporte

Nova Bréscia investe na prática da ginástica artística desde 2013, por meio do projeto "Crescendo com a Ginástica", realizado pelo Centro de Referência da Assistência Social (Cras). No ano passado, a prefeitura investiu cerca de R$ 150 mil em equipamentos para permitir que mais de 50 crianças e adolescentes do Cras e estudantes da rede municipal praticassem a modalidade.

Para o prefeito Marcos Antônio Martini, a realização do campeonato estadual no município é motivo de orgulho e serve de reconhecimento ao projeto. "Além de difundir a ginástica artística, que é um esporte maravilhoso, esperamos em um futuro próximo ter atletas de Nova Bréscia como representantes da cidade nos campeonatos. Quem sabe, muito em breve, poderemos ter um atleta levando o nome do Estado ou do Brasil a um campeonato."
Roberta Tamara da Silva (15) é uma das atletas do município que vem se destacando. A estudante, que pratica o esporte há cerca de cinco anos, já participou de vários campeonatos no Estado. "Quase sempre volto para casa com uma medalha", afirma. Roberta sonhava em tornar-se ginasta desde criança. Agora, o objetivo é treinar cada vez mais para que virar uma atleta profissional.

Dupla prodígio

Os atletas Igor Heineck (14) e Gustavo dos Santos (12), da Univates, foram alguns dos que participaram das disputas em Nova Bréscia. A dupla pratica a ginástica artística há seis anos, e já participou de provas em todo o país. Até mesmo do Campeonato Sul Americano de Ginástica de Trampolim na Colômbia. Juntos, treinaram por 18 dias na Espanha.

O treinamento é rigoroso: os atletas praticam cinco vezes por semana, pelo menos duas horas por dia. Todo esse esforço é recompensado no trampolim. A performance da dupla deixou a plateia impressionada e arrancou aplausos em Nova Bréscia.
Depois de tentar futebol, Igor decidiu escolher um esporte novo. Descobriu que a Univates possuía uma equipe de ginástica e decidiu fazer uma aula. Imediatamente, ficou apaixonado pela modalidade e não parou desde então. "As pessoas são tão voltadas ao futebol que acabam ignorando a ginástica e outros esportes, inclusive o vôlei, basquete e atletismo."

Gustavo afirma que ainda existe muito preconceito em torno da ginástica artística. Para ele, as acrobacias exigem muito mais esforço físico que a maioria esportes mais tradicionais. "Muitos acham que homem tem que que jogar futebol. Mas ninguém é obrigado a seguir esse rótulo. E é muito legal praticar um esporte diferente como a ginástica."

O jovem acredita que o projeto realizado em Nova Bréscia é uma forma de acabar com este preconceito e pode fazer com que mais jovens sintam-se inspirados a participar. "Fico feliz por ver os estudantes praticando ginástica além dos esportes mais conhecidos. Vai permitir que o esporte cresça cada vez mais."

 

 

 

Comments

SEE ALSO ...