Esporte

Seleção Brasileira de Voleibol convoca atleta da Docile/Ceat/Bira

Vitória Parise defenderá o Brasil no Sul-Americano que será disputado na Colômbia

Créditos: Redação
SUCESSO: técnica da equipe do Ceat/Bira, Indianara Gonçalves, Vitória e o diretor do Ceat, Rodrigo Ulrich - Rangel Lange/divulgação

Lajeado - Vitória Parise, atleta da equipe infanto Docile/Ceat/Bira (categoria infanto), foi efetivada no grupo da Seleção Brasileira de Voleibol. Com apenas 16 anos, a jogadora entrou nas equipes de voleibol do Ceat/Bira há cinco anos e já coleciona convocações. Em treinamento no Rio de Janeiro até a próxima sexta-feira, Vitória foi selecionada para compor o elenco de 12 atletas de todo o Brasil, que defendem o time sub-18, entre os próximos dias 8 e 13, no Sul-Americano de Voleibol, na Colômbia.

O sentimento da estudante do 2º ano do Ensino Médio do Ceat é de realização. "Estou muito feliz, não esperava ficar entre as 12, pois o elenco inicial era muito forte, e todas as meninas são muito talentosas. É muito bom conquistar essa convocação. Darei o meu melhor em quadra", comenta Vitória. Para ela, a seleção tem grandes chances. "Nosso time está muito afinado. Treinamos com muita intensidade e acredito muito no potencial da nossa equipe para trazer o título para o Brasil."

Trabalho e rendimento

Vitória conta que começou a jogar voleibol pois era muito hiperativa. "Sempre fui muito agitada e meus pais me incentivaram a praticar um esporte. Entrei nas escolinhas do Ceat/Bira e isso me ajudou muito nos estudos pois eu conseguia ter foco e me concentrar melhor. Acredito que o esporte pode ajudar muito as pessoas, não apenas nos estudos, mas para a vida também. A gente aprende que não podemos vencer sozinhos, é preciso pensar como equipe, é preciso entender que estamos em um grupo e a cooperação é essencial para qualquer time ganhar", comenta a jogadora.

Para o diretor do Ceat, Rodrigo Ulrich, o esporte reflete no aprendizado do estudante. "A convocação da Vitória enche-nos de orgulho, pois é um símbolo do que acreditamos para a sociedade por meio da educação. Vivenciar o quanto o esporte no colégio contribui para que o estudante evolua, cresça e vá se formando como pessoa, cidadão para o mundo move-nos a persistir, a ampliar, intensificar nossas ações institucionais", enfatiza Ulrich.

O diretor ainda ressalta as qualidades da estudante. "Sabemos que Vitória já faz a diferença, sabe trabalhar em equipe, é determinada, demonstra maturidade em relação ao que tem vivenciado e aprendido para além da quadra e dos treinos. Estamos na torcida e muito confiantes de que comemoraremos esse sul-americano mais de perto, no Ceat, com a nossa aluna Vitória", vibra o diretor.

Comentários

VEJA TAMBÉM...