Geral

Ana Amélia acredita em expectativas favoráveis aos novos governos

Senadora estuda possibilidades para depois do término do mandato e diz que permanece na política

Créditos: Rita de Cássia
Perspectivas: senadora Ana Amélia Lemos e presidente da Acil, Aline Bagatini Eggers - Rita de Cássia

Lajeado - A Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil) realizou nesta segunda-feira (17) a última reunião-almoço do ano, com palestra da senadora Ana Amélia Lemos. Ela falou sobre os cenários político e econômico após as eleições, os desafios e perspectivas dos novos governos e legisladores; além de fazer um resumo do seu mandato no Senado que encerra-se em 31 de janeiro.

O encontro foi aberto com as palavras da presidente da Acil, Aline Eggers Bagatini, que agradeceu a presença da senadora e desejou sorte em sua jornada. "Temos acompanhado comentários sobre um possível aproveitamento de Ana Amélia em cargos no governo estadual ou, quem sabe, no âmbito federal. São várias portas que se mantêm abertas para aproveitar o grande conhecimento, excelente relacionamento e trânsito em todos os partidos, além da rica experiência e maturidade política. Fica a nossa torcida para que a carreira política prossiga de forma intensa e positiva, pois certamente nosso Estado e país muito tem a ganhar", afirma Aline.
Ana Amélia começou sua palestra fazendo um comparativo entre um partido político e uma família. "Não existe consenso. Basta ver quando é feito um inventário ou ocorre algum problema. Um partido é uma família desunida que precisa dialogar. A política é a arte de acomodar divergências. É a arte da tolerância e da convivência. Se não tiver essa capacidade é melhor sair da política", destaca a senadora.

 

Estado

A senadora acredita que, com Eduardo Leite, haverá mudança conceitual de gestão, já que declarou que não se candidatará à reeleição. "Deve haver um esforço para, pelo menos, tirar o Estado da situação de ingovernabilidade. Tenho muita confiança nele, não só pelo fato tê-lo apoiado, mas por conhecer seu histórico, por saber o que ele fez em Pelotas e por seus propósitos e agenda pautada em eficiência e qualidade."

 

País

A respeito do governo de Jair Bolsonaro, com quem Ana Amélia teve a oportunidade de conversar, acredita que entra com expectativa favorável e que o principal cuidado deverá ser com a política. "Em especial nesse primeiro ano, deve ter habilidade com os partidos. A tese dele é muito boa de que não fará o 'toma lá da cá'. Eu também acho maravilhoso, mas ele não poderá ignorar o sistema político e terá que dialogar", explica. Ele me disse 'olha senadora, nós temos que acertar porque se nós não acertarmos, o partido de oposição volta e não vai mais sair', conta. Para ela, o clima de boas perspectivas de mudanças é importante para reativação do crescimento econômico." Para ela, a prioridade no governo federal é a reforma previdenciária. "Não é a previdência do assalariado que dá o rombo; é quem recebe salário integral, quando sai de uma aposentaria precoce em vários setores da área pública."

 

Futuro

Ana Amélia Lemos ainda não confirma quais os caminhos seguirá, mas garante que não deixará a carreira política. "Posso assegurar no momento que, aonde eu estiver, irei trabalhar com a mesma intensidade com a qual estive no senado em prol do RS e do paí. "Não vou largar a política, pois foi uma honra representar o Rio Grande do Sul nesses oito anos." Em declarações recentes a um jornal da capital gaúcha - que foram repetidas na reunião-almoço - Ana Amélia disse que aprendeu mais em oito anos no senado do que em 40 anos no jornalismo; e que aprendeu mais sobre a natureza humana em cinco campanhas do que em toda a sua vida.

 

Escolha

A respeito da sua escolha em concorrer ao cargo de vice-presidente, Ana Amélia explica que para ela o candidato Geraldo Alckmin era o mais preparado para o momento do Brasil. Por isso, trocou oito anos certos de mandato por quatro anos incertos. "Não foi um capricho pessoal. Fiz isso acreditando que o Brasil precisava e era o que eu podia fazer por uma causa maior", afirma.

 

Senado

Autora de cinco leis e uma emenda constitucional já em vigor, a senadora Ana Amélia Lemos apresentou 114 projetos, além de ter relatado mais de 480 propostas. Entre as leis de sua autoria sancionadas e em vigor estão a que inclui na cobertura obrigatória dos planos de saúde o tratamento, em casa, contra o câncer, com remédios de uso oral; lei que garante, no SUS, o acesso das mulheres com deficiência a equipamentos adequados no diagnóstico e tratamento dos cânceres de mama e de colo de útero e a lei criando um marco regulatório para a cadeia produtiva de integração agropecuária, tornada referência em países da América Latina. Também a Emenda Constitucional, já em vigor, que aumentou em 1% a receita do Fundo de Participação dos Municípios, garantindo mais recursos para as administrações municipais - cerca de R$ 4 bilhões a mais por ano. Foram mais de R$ 181 milhões destinados a 452 municípios e 155 hospitais do Rio Grande do Sul pelo gabinete, entre 2012 e 2018, além dos recursos e da emenda que aumentou em 1% o FPM. Presidiu, por dois anos, a Subcomissão de Assuntos Municipais.

 

Gabinete

Ana Amélia abriu mão do auxílio-moradia - dispensou o uso do apartamento funcional desde o início do mandato; abriu mão do 14º e 15º salários até que tais pagamentos fossem extintos por projeto de lei e do auxílio-mudança - que será pago na troca da legislatura. A senadora ainda economizou 70% da verba indenizatória destinada ao gabinete, além de ter um dos menores números de servidores entre todos os senadores - cerca de um terço do número permitido. A economia, apenas em relação à cota parlamentar será de cerca de R$ 2,5 milhões nos oito anos do mandato. Em relação ao número de assessores, a economia nestes oito anos irá totalizar mais de R$ 8 milhões.

 

Saiba Mais

As reuniões-almoço de 2018 da Acil têm o apoio de Bebidas Fruki, BRDE, Dalva Pohren Serviços Contábeis, Excellence Garçons, Invictos Ar Condicionados e Refrigeração, Lyall Construtora e Incorporadora, MSommer, Olicenter, Planus Arquitetura e Sicoob Meridional.

 

Presenças

Participaram do encontro o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo; a vice-prefeita Gláucia Schumacher; a presidente da Acil, Aline Eggers Bagatini; representante da Câmara de Vereadores, Mariela Portz; prefeito de Santa Clara do Sul, Paulo Kohlrausch; prefeito de Fazenda Vilanova, José Luiz Cenci; vice-presidente Regional do Sistema Fiergs/Ciergs do Vale do Taquari, Nelson Eggers; presidente de Associação Gaúcha para o Desenvolvimento do Varejo (AGV), Ricardo Diedrich; presidente da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT), Pedro Antônio Barth; presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Cíntia Agostini; presidente da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB Lajeado, Alessandra Glufke; presidente do Sinduscom Vale do Taquari, José Zagonel; titular da 3ª Coordenadoria Regional de Educação, Greyci Weschenfelder; presidente do Sicredi Integração do Rio Grande do Sul/Minas Gerais, Adilon Metz; presidente da Cooperativa Certel, Erineo Hennemann; presidente da Construmóbil 2019, Kátia Eckert; representante da CDL Lajeado, Carlos Henrique Haas de Oliveira; além de empresários e convidados.

 

Comments

SEE ALSO ...