Geral

Atendimento médico pela internet beneficia pacientes no Estado

Projetos pioneiros desenvolvidos pelo Hospital Moinhos de Vento reduzem filas

Créditos: Da Redação
ENCURTANDO DISTÂNCIAS: profissionais tratam de casos fora do estado - divulgação

Porto Alegre - A partir de 2019, médicos brasileiros poderão realizar uma série de atendimentos à distância, como consultas, cirurgias e diagnósticos. É a chamada telemedicina, que conecta pela internet os profissionais aos pacientes, que podem estar separados por milhares de quilômetros. A regulamentação do uso dessas tecnologias foi feita pela Resolução 2.227/18, publicada esta semana pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

A medida, que entrará em vigor em maio, possibilitará a expansão dessas inovações no Sistema Único de Saúde (SUS), beneficiando milhões de pessoas em todo o país, permitindo acesso mais rápido a especialistas e reduzindo filas de atendimento. Exemplos de eficácia dessa tecnologia têm sido obtidos no Rio Grande do Sul, por meio de projetos desenvolvidos pelo Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre.

A instituição, em parceria com o Ministério da Saúde, por meio do Programa de Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), conecta especialistas com profissionais de outras partes do Estado e do país em duas frentes. Implementado em novembro, o serviço de Telemedicina em UTI Pediátrica (TeleUTIP) é um projeto inédito no Brasil. Da capital gaúcha, uma equipe médica acompanha pacientes do Hospital Geral de Palmas (TO) e do Hospital Regional Norte, de Sobral (CE).

De segunda a sexta, médicos e enfermeiros fazem rounds com os colegas distantes a mais de 2 mil quilômetros, discutindo diferentes casos de pacientes pediátricos em terapia intensiva. Desde o início das atividades, foram realizadas mais de 600 avaliações, em especialidades como infectologia, radiologia e neurologia.

"Em poucos meses de projeto, conseguimos reduzir o tempo de internação de nove para seis dias. Isso representa a geração, no Sistema Único de Saúde, de 380 internações a mais por ano, nos 19 leitos incluídos na iniciativa", destaca Felipe Cabral, coordenador dos projetos de telemedicina do Hospital Moinhos de Vento.

Oftalmologia prestou 12 mil atendimentos em 2018

Além do TeleUTIP, o hospital também introduziu essa tecnologia de forma pioneira na área de oftalmologia, com o projeto Teleoftalmo - Olhar Gaúcho. Lançada em 2017, a iniciativa é uma parceria entre a instituição com o Ministério da Saúde, Governo do Estado do Rio Grande do Sul, prefeituras municipais e o Telessaúde RS-UFRGS.

Por meio de dois consultórios remotos no Hospital Restinga e Extremo-Sul, em Porto Alegre, são beneficiados pacientes da capital gaúcha e das cidades de Santa Rosa, Farroupilha, Pelotas, Santa Cruz do Sul, Passo Fundo e Santiago. Até dezembro de 2018, foram realizados 12.029 atendimentos. Além disso, mais de 6.300 óculos foram fornecidos, sem custo aos cidadãos.

"Ao contrário do que alguns podem pensar, a distância não prejudica a qualidade do atendimento. O que constatamos é o aumento da rede de cuidado e da atenção com cada paciente. São mais especialistas envolvidos e preocupados em buscar a melhor solução, de forma ágil", avalia Felipe Cabral.

Para o médico, a resolução do CFM trará grandes avanços para a saúde da população. "Pela internet, essa inovação ampliará ainda mais o atendimento médico no país e o compartilhamento de conhecimentos entre os profissionais. A telemedicina, por sua eficácia, aproxima e salva vidas", conclui.

Comentários

VEJA TAMBÉM...