Geral

Cadeia leiteira do Vale do Taquari tem agenda marcada em Brasília

Comitiva composta durante reunião na Fetag vai apresentar demandas à ministra da Agricultura

Créditos: Jean Peixoto
CÍNTIA AGOSTINI: "Estima-se que 50% da cadeia produtiva do Vale não tenha condições de atender as demandas propostas" - Lidiane Mallmann

Vale do Taquari - O prédio da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag/RS) sediou, na tarde de ontem, uma reunião com representantes da cadeia leiteira, sindicalistas, prefeitos, técnicos e parlamentares do Vale do Taquari para discutir as Instruções Normativas 76 e 77. A assembleia foi agendada a partir do encontro convocado pela cooperativa Dália, em 6 de fevereiro, no município de Encantado. Nos encaminhamentos, foi composto um grupo de trabalho encarregado de elaborar o documento que será entregue durante agenda com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, marcada para a próxima terça-feira, dia 26, às 11h, em Brasília. A primeira reunião da comitiva ocorre hoje.


A presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Cíntia Agostini, esteve presente no encontro. Ela explica que a proposta é de uma suspensão das INs e composição de uma comissão. "Os agricultores estão muito preocupados. Estima-se que 50% da cadeia produtiva do Vale não tenha condições de atender as demandas propostas. Há coisas possíveis, mas outras, não", destaca. Quanto à retirada da taxa de antidumping, Cíntia comenta que o Governo Federal sinalizou uma medida paliativa, com o aumento do imposto de importação, mas que ainda não foi implementada.


Membro do grupo de trabalho formado na tarde de ontem, o deputado estadual Edson Brum (MDB) - único representante do Vale do Taquari eleito para a Assembleia Legislativa no pleito de 2018 - reitera a necessidade de unificação. "Além das Instruções Normativas, precisamos discutir, antes do final do mês, um decreto estadual de proteção que interfere na cadeia leiteira", afirma. Brum destaca que solicitou ao ministro da Cidadania, Osmar Terra (MDB), que compre leite das cooperativas locais para os programas sociais do Governo Federal.

 


Instruções Normativas


A IN 76 apresenta os regulamentos técnicos para a identificação e qualidade do leite cru, do leite pasteurizado e do leite pasteurizado tipo A. Já a IN 77 estabelece novos critérios e procedimentos para a produção, acondicionamento, conservação, transporte, seleção e recepção do leite cru em estabelecimentos registrados no serviço de inspeção oficial, revogando as INs 62/11, 07/16 e 31/18.


Antidumping


O presidente Jair Bolsonaro anunciou no dia 12 que os problemas ocasionados pela retirada da taxa de antidumping para a importação de leite em pó, integral ou desnatado, oriundo da União Europeia e da Nova Zelândia estariam resolvidos. A solução seria a publicação de uma medida que determina o aumento do imposto de importação, atualmente de 28%. A nova alíquota do imposto não foi informada, mas a soma da antiga alíquota com a taxa antidumping resultaria em 42,8%, cobrindo o desfalque produzido pela medida anterior.

 

EDSON BRUM: o único deputado estadual representante do Vale do Taquari eleito em 2018 integra grupo de trabalho

Comments

SEE ALSO ...