Geral

Cápsula do tempo resgata história da Igreja de Moinhos após 42 anos

Exemplar do jornal O Informativo do Vale foi localizado na urna guardada em 1977

Créditos: Karolaine Pereira
Reni Mallmann, Claudino Gottardi e Judite Ingrid Schmatz - Lidiane Mallmann

LAJEADO | Há 42 anos, o jornal O Informativo do Vale noticiava a Festa da Pedra Angular da Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Moinhos. Na página quatro da edição de 14 de maio de 1977, a matéria chamava os fiéis para o evento que comemoraria a conclusão das obras da Igreja. A notícia convidava a comunidade para a programação, que ocorreu no dia 15 de maio daquele ano, às 10hs, com uma missa feita pelo bispo Dom Alberto Etges, almoço e outros festejos. Também esteve presente na celebração o padre Beno Muller e a diretoria da paróquia na época.

O exemplar do jornal, que marcou o lançamento da Pedra Angular e o fim das obras da igreja, ficou conservado durante 42 anos em uma urna - espécie de cápsula do tempo. A caixa de vidro com tampa de metal foi colocada em um compartimento na parede da igreja durante a Festa da Pedra Angular. Na missa de Corpus Christi no dia 20 de junho deste mês, a atual diretoria da Paróquia junto com os antigos membros tiraram a pedra e abriram a cápsula do tempo.

Além do jornal, os fiéis tinham deixado na caixa moedas da época, bilhetes clamando por prosperidade e a ata do evento. As moedas e os bilhetes se deterioraram com o tempo. O exemplar do O Informativo e ata se mantiveram intactos. A ata, escrita naquele dia pelo 1º secretário da paróquia, Claudino Gottardi, foi redigida com o intuito de manter viva a história da Paróquia junto com os demais documentos.

O documento diz: "Para comprovação destes atos, eu, Claudino Gottardi , 1º secretário, lavrei a presente que, após lida e achada conforme, levará a assinatura das autoridades presentes, sendo, depois, encerrada uma via, para comprovar a História da Igreja de Cristo, na Pedra Angular de que fala, juntamente com um exemplar do Jornal O Informativo, de Lajeado, edição de 14/05/1977, e outros documentos".

 

Testemunha da história

Hoje, com 80 anos, o professor aposentado Claudino Gottardi ainda lembra o dia em que a caixa com os documentos foi deixada na Pedra Angular no ano de 1977. "Todo monumento tem a sua história e a paróquia também. O momento de abertura da Pedra Fundamental foi motivo de emoção a todos que participaram desta grandiosa obra", destaca.

A cápsula do tempo foi aberta neste ano devido ao cinquentenário a paróquia. Isso porque ela foi fundada em 1º de março de 1969. Antes de ter a sede inaugurada em 1977, as missas e festejos aconteciam no Clube Esportivo Sete de Setembro, no Bairro Moinhos. De acordo com o primeiro vice-presidente da paróquia, o empresário Jaime Ignácio Mallmann, hoje com 82 anos, a ideia de colocar as moedas da época, o exemplar do jornal e ata se deu como uma forma de resguardar e preservar a história da comunidade. "Foi um momento muito emocionante a abertura da Pedra Angular", destaca.

 

Em 2019, igreja completou 50 anos de fundação

A história da Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Moinhos é marcada pela fé e união da comunidade. A paróquia foi fundada em 1º de março de 1969. No entanto, no início não tinha uma sede fixa. Mesmo assim, a falta do espaço não prejudicou a religiosidade dos fiéis, que começaram a trajetória da paróquia realizando as celebrações no Clube Esportivo Sete de Setembro e posteriormente em um casarão, onde funcionou antigamente a Escola Carlos Fett Filho. A primeira missa da comunidade foi realizada no Clube Sete pelo padre Júlio Pereda, nome importante na história do bairro.

A paróquia ganhou sede após o trabalho em conjunto feito pela comunidade. Os antepassados da família Mallmann doaram o terreno na atual Rua Carlos Spohr Filho, e o salão paroquial começou ser construído através de financiamentos e verba arrecadada pela comunidade em celebrações. O primeiro presidente do Conselho Paroquial foi Abílio Hennenmann e o vice-presidente, Jaime Ignácio Mallmann.

Conforme um dos antigos membros da diretoria, Claudino Gottardi, a maior parte da comunidade na época era composta por agricultores, que fizeram do terreno que tinha apenas roça a sede da paróquia. "Os agricultores formaram um grupo coeso, que, com muito trabalho, fé, esperança e união, passaram a construir o salão paroquial que servia de igreja e abrigava as promoções", diz. Depois da conclusão do salão, começou a ser construída a igreja, que teve a obra terminada em 1977, no dia que cápsula do tempo foi colocada na Pedra Angular.

 

União foi chave importante na fundação da Paróquia

Além dos nomes já citados, diversas outras pessoas foram importantes na trajetória da Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Moinhos. Entre elas, o primeiro secretário da diretoria composta por Abílio Hennenmann e Jaime Ignácio Mallmann, o comerciante Zeno Schmatz, que participou ativamente das celebrações da comunidades, inclusive, sendo ecônomo e presidente do Clube Sete de Setembro, local onde as primeiras missas ocorreram.

Filha de Schmatz, a professora de português, Judite Ingrid Schmatz, tinha 16 anos na época em que a cápsula do tempo foi colocada na Pedra Angular. Hoje com 58, recorda com carinho a data de colocação do vidro com o jornal O Informativo e os demais documentos. "As pessoas pediram para colocar bilhetes com dizeres. Eu lembro que coloquei um. Nós escrevemos sobre prosperidade para a comunidade, mas ele se deteriorou com o tempo". Também participaram ativamente da primeira diretoria a esposa de Abílio, Norma Hennenmann; esposa de Jaime, Reni Mallmann e esposa de Zeno, Noêmia Schmatz, entre outros membros da comunidade.

 

Nova Cápsula do tempo será aberta em 2044

O espaço na parede da igreja onde estava a urna com o jornal e demais documentos hoje está vazio. No entanto, conforme o atual presidente da paróquia, Renato Vieira da Silva, 63, será por pouco tempo. Na Festa da Padroeira, em 8 de dezembro, uma nova urna será colocada no local. A caixa terá a ata de 15 de maio de 1977, a nova ata do dia da festa, fotos da diretoria e mais uma vez, um exemplar do jornal.

De acordo com o presidente, a cápsula é uma forma de resgatar a história. As novas diretorias irão decidir quando a urna será aberta. Porém, segundo Silva, a ideia é que ela seja aberta em 25 anos - quando a Paróquia completa 75. "O pessoal gostou muito da abertura da caixa. Tinha esposas de pessoas da diretoria que já faleceram e ficaram emocionadas", ressaltou. O atual pároco é José Luciano Schneiders.

 

 

Comments

SEE ALSO ...