Geral

Casa centenária guarda a história de Arroio do Meio

Imóvel que abriga o Museu Público Municipal completa cem anos e preserva a memória local

Créditos: Matheus Aguilar
Casa do Museu é patrimônio histórico e cultural do município - Lidiane Mallmann

Arroio do Meio - Único prédio tombado de Arroio do Meio, a casa que abriga o Museu Público Municipal completa cem anos em 2018. Há dez, guarda oficialmente a história arroio-meense.

Erguida em 1918, a construção foi moradia e consultório do médico alemão Ernesto Von Heckel. Ali funcionou aquele que foi considerado o primeiro ambulatório do município. "Enquanto doutor Ernesto viveu aqui, havia a recepção, o consultório e a sala que era o ambulatório, com uma ligação para o interior da residência. Acredita-se que era para cuidar de doentes que precisassem passar a noite em observação", comenta a coordenadora da Casa do Museu, Carla Schroeder. De acordo com Carla, o médico viveu na Argentina antes de se mudar para Arroio do Meio.

Localizada na região central da cidade, na esquina das ruas Visconde do Rio Branco com Monsenhor Jacob Seger, a casa foi a segunda sede do Executivo municipal. Entre os anos de 1951 e 1974 abrigou a prefeitura e também a Câmara de Vereadores de Arroio do Meio. Foi vendida e voltou a ser um prédio público em 1992, como sede da Secretaria de Educação. Em 2005 iniciou-se o processo de tombamento. Recebeu uma exposição em 2008 e passou a ser conhecida como Casa do Museu. A oficialização se deu em 2013. "Temos a preocupação, enquanto instituição, de que as exposições sejam contextualizadas, dentro de um padrão. Não queremos apenas juntar um monte de peças", descreve Carla.
Segundo a coordenadora da Casa do Museu, sempre é feita a pesquisa a respeito do tema das exposições. "Cuidamos para que seja preparado um texto histórico, puxando para a realidade local. Temos a sensação de que estamos sempre escrevendo mais um capítulo da história de Arroio do Meio", analisa.

 

O que aconteceu ali

Ernesto Von Heckel faleceu em 1929, mas a família continuou vivendo no local até o ano seguinte. Depois, a casa foi adquirida por Edgar Jung. Em 1951, o Poder Público comprou o imóvel. Ali, entre 1952 e 74, funcionou a prefeitura. O prédio ficou sem ocupação entre 1974 e 79, quando passou a ser alugado para diversos empreendimentos comerciais.

Com a declaração de utilidade pública, em 1986, o local foi desapropriado e readquirido pelo município em 1992. Nos cinco anos seguintes, o imóvel funcionou como Casa de Cultura e Biblioteca Municipal. Entre 1998 e 2008, foi a sede da Secretaria de Educação.

O decreto 1439, de 28 de novembro de 2002, tombou o prédio como patrimônio histórico e cultural do município. Em 2008 foi afetado para uso como museu pela lei municipal 2.683. Desde então, abriga o Museu Público Municipal de Arroio do Meio, porém a oficialização do espaço como tal só ocorreu em 25 de novembro de 2013.

 

Curiosidades

? A reserva técnica do museu possui mais de sete mil peças
? Mantém também o acervo da prefeitura de Arroio do Meio
? Uma vez por mês, no sótão, ocorre sessão de cinema com bate-papo. No porão, são realizadas aulas de cerâmica para diversas turmas, das quais participam a comunidade, Cras e grupos de saúde mental do hospital local
? O museu ocupa três salas no andar térreo, para exposições temporárias de curta e média duração, e uma sala de exposição permanente no subsolo, preservando a história do Cine Teatro Real
? A instituição conta com espaços destinados à reserva técnica, sala de restauro e higienização, almoxarifado e sala de oficinas
? No momento, está em exposição a história do futebol amador no município
? As exposições são sempre diferentes, visando atrair públicos distintos

Comments

SEE ALSO ...