Geral

Castelinho confirma turma de magistério

Volta às aulas tem reencontro e permanência do Curso Normal

Créditos: Rita de Cássia e Thaís Presser
- Lidiane Mallmann

Lajeado - Os 989 alunos do Colégio Estadual Presidente Castelo Branco, o Castelinho, voltaram às aulas ontem em clima de reencontros e novos objetivos. As turmas foram recepcionadas com música e picolé nos intervalos dos três turnos. O novo ano letivo também chega com uma ótima notícia. Afastada a possibilidade de o Curso Normal ter encerradas as atividades por falta de inscritos, a diretora Evenize da Costa Pires comemora a abertura da nova turma. São 17 alunas e ainda há aproximadamente 20 vagas. Segundo ela, desde o começo, em 1995, mais de 500 estudantes já habilitaram-se ao magistério. "Houve época em que se formavam 50 a 60 professores." Mas essa realidade vem mudando no decorrer dos anos. Em fevereiro, foram apenas 11. E, para o final deste ano, a previsão é de que nove ganhem o canudo. "Acredito que esse seja o reflexo de todo o contexto em que se encontra a educação. Um dos pontos principais é a desvalorização, que acaba afastando muita gente."

Diferencial
O curso profissionalizante oferece vários recursos tecnológicos, uma sala multimeios - onde cada aluno tem o seu netbook com internet -, laboratório de informática e acervo atualizado com 25 mil exemplares na segunda maior biblioteca do município. "A orientação é que os alunos utilizem estratégias diferenciadas, e a estrutura possibilita que aprendam como fazer. É um conteúdo que ensina para a vida, desde planejar até colocar em prática os objetivos", afirma a diretora Evenize da Costa Pires. Tudo isso chamou a atenção da jovem lajeadense Cristiele Costa Vedoy (15), que tentou iniciar os estudos no Instituto Estadual de Educação Estrela da Manhã (IEEEM), em Estrela, mas não se adaptou ao sistema de internato. Para ela, a permanência da turma em Lajeado foi providencial, pois poderá seguir o sonho de dar aula. "Sempre tive jeito com crianças e observava minhas professoras. É isso que eu quero para a minha vida", comenta. Depois da formatura, pretende cursar Pedagogia e se especializar em história.

SONHO: Cristiele Costa Vedoy quer dar aulas de história

 
Esforço
Mesmo com as férias curtas, Ana Beatriz Vittorazzi (17) retornou às aulas cheia de gás e expectativas. A estudante do 3º ano do Ensino Médio aproveitou o primeiro dia para rever os amigos. Para ela, não houve perdas com o período estendido do ano letivo de 2017 - por causa da greve dos professores das escolas da rede estadual, deflagrada no ano passado. "Aproveitei todos os dias e não me importei muito por ter que estudar até mais tarde." No entanto, acredita que a recuperação pelo atraso no começo das aulas será prejudicada. "Ela será feita nos sábados, e isso me impacta, pois trabalho com meus pais. Apesar de tudo, os estudos são prioridade e vou cumprir conforme o cronograma."

No último ano no Ensino Médio, Ana Beatriz salienta que todo esforço vale a pena. "Quero me preparar bem para o vestibular. Pretendo cursar Direito na Univates, pela comodidade de estar perto de casa", revela a moradora do Bairro Florestal.

Comentários

VEJA TAMBÉM...