Geral

Clóvis Tramontina fala sobre empreendedorismo e simplicidade

Reunião-almoço promovida pela Acil reuniu cerca de 140 pessoas

Créditos: Jean Peixoto
SIMPLICIDADE: Clóvis Tramontina destacou o valor das coisas simples e da objetividade na condução dos negócios - Jean Peixoto

Lajeado - Cerca de 140 pessoas lotaram o salão de eventos da Acil para prestigiar o empresário Clóvis Tramontina durante a reunião-almoço realizada ontem. Presidente da Tramontina há mais de 25 anos, o empresário, que também é formado em Direito, falou sobre o segredo do sucesso e crescimento da marca que hoje está presente em 120 países e conta com 10 unidades fabris em três estados brasileiros - Rio Grande do Sul, Pará e Pernambuco.

A trajetória da Tramontina, que teve início em 1911, na cidade de Carlos Barbosa, também foi retomada no encontro. Unidos pelo espírito empreendedor, Ivo Tramontina e Ruy J. Scomazzon passaram a administrar a fábrica em 1949, quando contavam com apenas 16 funcionários. "O Ivo era o coração e o Ruy era a razão. Uma parceria que durou 70 anos devido ao respeito mútuo", comenta o atual presidente.

Clóvis Tramontina salienta que para comandar qualquer organização é preciso conhecer todas as suas partes. O presidente destacou também que para ser um bom empreendedor é preciso responder a quatro questões: 1 - Tem capacidade de inventar algo novo?; 2 - Introduziu um novo bem, abriu um novo mercado ou criou um novo método de produção?; 3 - É criativo?; 4 - É guiado pela paixão?

O palestrante traçou paralelos entre brechas existentes no setor público em comparação com o privado e criticou sistemas econômicos fechados como aqueles existentes na China, Cuba e Venezuela. Tramontina também exaltou o orgulho que a indústria de objetos de aço tem em ser brasileira. "Nós valorizamos a prata da casa. Temos muito orgulho de dizer que todos os nossos diretores e gerentes são formados no Brasil", frisa.

Defensor da descentralização das atividades, o presidente afirmou que com um modelo de trabalho descentralizado se ganha em agilidade nos produtos e serviços. Ele também defendeu a implementação de ações integradas, segmentando e aprimorando o contato com o consumidor final. "Tudo isso tem um único objetivo: o prazer de fazer bonito. Eu vibro quando alguém abre um pacote e diz 'Olha, é uma Tramontina'", acrescenta.

 

Comments

SEE ALSO ...