Geral

Ditmar Born : há 37 anos animando festas na colônia


Ditmar Born destaca amor e comprometimento na coordenação de eventos pelo interior 50 anos 50 histórias - Alício de Assunção

VALE DO TAQUARI | Dificilmente alguém que tenha participado de uma festa no interior do Vale do Taquari não tenha prestado atenção na voz marcante, na animação ou até participado das brincadeiras do radialista Ditmar Henrique Born (61). Desde 1982 já são cerca de 3 mil eventos coordenados por Ditmar, como é popularmente conhecido, por dezenas de localidades. 

Natural de Lajeado, seu envolvimento pelos eventos do interior iniciaram em 1982. "Primeiro por conta própria e a partir de 1989, em conjunto com a Rádio Independente de Lajeado, mantido até hoje através do Departamento de Promoções", conta. A propósito, a parceria com a emissora nasceu de uma ideia do saudoso diretor Lauro Mathias Müller. 

Surgiram a partir daquela época eventos que se mantém até hoje como a Festa do Colono Italiano da Picada Serra, a Festa do Colono Alemão de Nova Santa Cruz, Festa da Laranja de Vasco Bandeira e Romaria de Nossa Senhora do Caravaggio em Batuvira, entre tantas outras. "Inclusive as Sociedades Conveniadas foram criadas naquela época, outra ideia de Lauro Müller, que por questões práticas deixou de existir", lembra. 

Foto: Alício de Assunção

Mas nada é tão fácil como se parece. "Promover essas festividades exige muita criatividade, onde nos reunimos com as comunidades semanas antes para que tudo ocorra da melhor maneira". Pelas mãos e criatividade de Ditmar também foram criados diversos eventos. "Entre tantos poderia destacar os lançamentos de feiras em diversos municípios da região, onde o maior atrativo era o desfile em ambiente fechado ou na rua, por onde eram representados o potencial econômico, cultural e tradições de cada município. O desfile envolvia pessoas da comunidade", comenta. 

Em suas andanças pelas festas do interior, Ditmar recorda de um fato que lhe emocionou. "Numa determinada comunidade, ao distribuir pirulitos para as crianças, também entreguei aos idosos. Foi quando uma senhora de 83 anos, ao receber o pirulito, segurou minha mão e em lágrimas disse: Tenho 83 anos e é a primeira vez que alguém me dá uma coisa de presente e de graça. Desabei chorando".

 

Envolvimento

Ditmar se considera um membro integrante na organização de cada evento. "Pela convivência de tantos anos com as pessoas, a afinidade e o conhecimento das peculiaridades que cercam cada localidade, isso tudo facilita meu trabalho. E principalmente a minha contribuição com uma locução e animação mais elaborada para enriquecer o evento, planejada no detalhe, respeitando sempre a identidade de cada entidade e a capacidade das diretorias, fazem a diferença no resultado dos eventos".

Sobre o futuro dessas atividades Ditmar não tem nenhuma dúvida: Para ele os eventos comunitários sempre irão existir. Por questão de costume, ou pelo fato de traduzir a vida social das pessoas de uma comunidade ou entidade e porque representam da mesma forma a identidade a essência cultural e a tradição do local. 

"Sou um apaixonado por aquilo que faço, e conviver com tantas pessoas, de tantas entidades, comunidades, em milhares de promoções durante todos esses anos, é extraordinariamente gratificante. Me deixa realizado e feliz", finaliza Ditmar, já se preparando para animar mais eventos pelo interior na próxima semana, quando se comemoram o dia do colono e motorista.

Comments

SEE ALSO ...