Geral

Equipe de O Informativo volta a contar com Gilberto Alves Soares

Profissional chega para executar novos projetos e contribuir na preparação para os 50 anos da empresa

Créditos: Matheus Aguilar
- Matheus Aguilar

Lajeado - Depois de 30 anos, Gilberto Alves Soares (63) está de volta a O Informativo do Vale. Como consultor executivo, ele chega para construir o grande momento dos 50 anos do jornal, que serão comemorados em 2020. "Volto mais experiente, para um novo tempo e novos desafios. O Informativo tem que fazer a renovação necessária, e estou aqui para isso", frisa Gilberto. Sua atuação como consultor executivo será a de preparar a empresa para uma nova jornada. "Não podemos nos acomodar. Estamos fazendo uma reflexão interna e trazendo novos projetos. A ideia é chegar aos 50 anos cheios de energia para recomeçar uma caminhada. Novos tempos vêm pela frente e O Informativo não pode ficar de fora." Segundo ele, novidades serão conhecidas em breve. "Temos um plano de ação que será apresentado primeiro aos colaboradores e depois para a sociedade. Algumas ideias são para este ano", adianta. 

Gilberto descreve a importância da imprensa livre para o desenvolvimento social. Para ele, as regiões desenvolvidas e as democracias possuem jornais livres. "Quando a sociedade se fecha e começa a recuar, a primeira coisa que se faz é empastelar e fechar jornais. Comunicação, para mim, é essencial. Não consigo ver a evolução do ser humano sem a comunicação." 

E O Informativo tem papel fundamental para a região. "É um dos precursores e não chegou por acaso à posição que desfruta, como um jornal reconhecidamente importante no interior do Rio Grande do Sul, como protagonista no Vale do Taquari. Tem muito trabalho, investimento e olhar empreendedor", classifica. "Estamos na cidade que é o coração de uma região com quase 300 mil habitantes, dinâmica, com muitos desafios e que necessita de veículos de comunicação de qualidade", avalia.

 

Acompanhar o leitor

Para o consultor Gilberto Alves Soares, é preciso valorizar o leitor. "Muito da crise dos jornais é porque eles não viram que o leitor mudou, não deram importância ao leitor. E também pela acomodação de estar num local e não ser exigido a mudar", acredita. "Os jornais têm que ser indiscutíveis. O jornal é um veículo diferenciado e não pode dar tão pouca importância ao leitor", reforça.

 

Maturidade

Gilberto Alves Soares compara as organizações aos seres vivos. "Não podemos deixar de nos desafiar. O homem precisa ser desafiado até o fim de sua existência. Quem chega em determinado momento e diz que sabe de tudo, acabou de morrer", acredita. "Com jornal é a mesma coisa. Quando ele para e diz ser o melhor e não faz mais nada, começou a morrer", complementa. 
O consultor ressalta que toda organização atinge uma determinada maturidade. "Temos que nos tornar maduros, mas não podemos envelhecer. Vamos enriquecer o que temos de valor, principalmente na redação, e construir o horizonte."

 

Tecnologia

O grande desafio dos veículos de comunicação, para Gilberto Alves Soares, é aprender a fazer a convergência para as novas mídias. "O maior problema, na minha opinião, é que as organizações jornalísticas não souberam responder às novas tecnologias. Não acredito que os jornais acabem. O que pode ocorrer é a mudança na tecnologia de produção, concepção e até de maneira de se ler o jornal", projeta. "Hoje, não vejo a produção de conteúdo adequada para esta nova forma de consumo, como por meio de smartphones", exemplifica. 

Na opinião de Gilberto, os jornais passaram a procurar soluções na tecnologia e esqueceram do lado humano. "É o ser humano que torna a tecnologia essencial. Não adianta ter uma redação ruim e querer fazer conteúdo online de qualidade. Uma redação de qualidade e que produza conteúdo de qualidade se torna essencial. Essa é a grande diferença."

 

Saiba mais

A ligação profissional de Gilberto Alves Soares com a comunicação teve início em 1974, em uma agência de publicidade de Bagé. Atuou em Porto Alegre, onde também atuou em agências publicitárias. Em 1977, ingressou no Grupo RBS, empresa na qual trabalhou por nove anos, passando pela área de divulgação, RBS TV e diretoria de marketing. Nos dois últimos anos no grupo, foi responsável por criar projetos de jornais e desenvolvê-los. Saiu para dirigir a agência de publicidade da Edel e, dali, partiu para a abertura da própria empresa na área. Sua primeira passagem por O Informativo do Vale foi em 1988. Ficou dois anos e meio e reabriu sua agência, atuando no Vale do Taquari. Também atuou com consultor do jornal A Hora.

Comentários

VEJA TAMBÉM...