Geral

Famílias de baixa renda terão R$ 5 mil para a reforma da casa

"Cartão Reforma" não é empréstimo - é benefício para quem tem renda familiar de até R$ 1,8 mil

Créditos: Rodrigo Nascimento
- Lidiane Mallmann

Vale do Taquari - O vendedor Cleber Eidelvein (30) olha para a porta da loja de materiais de construção em que trabalha, no Bairro Jardim do Cedro, em Lajeado, e espera pelo cliente que não vem.

Segundo ele, em novembro do ano passado, vários clientes já tinham feito orçamento para compra de mercadorias para a reforma da casa no fim do ano. Em 2016, ninguém veio perguntar nem quanto custa um pincel, muito menos uma lata de tinta.

A esperança de Eidelvein pode vir por meio de uma linha de recursos lançada pelo governo federal nesta semana. O "Cartão Reforma" irá destinar R$ 500 milhões do orçamento de 2017 para o programa que vai beneficiar famílias com renda mensal de até R$ 1,8 mil.

"Está difícil contratar algum tipo de empréstimo. Os juros são altos e há ainda uma insegurança no consumidor", diz Eidelvein. Por conta disso, nem o crédito específico da construção civil tem atraído clientes para o balcão do Jardim do Cedro.

Na modalidade convencional - empréstimo via Caixa Econômica Federal -, o consumidor tem carência de quatro a cinco meses para pagar e consegue parcelar em até 60 vezes.

O "Cartão Reforma" não é empréstimo: é doação mesmo. O programa lançado pelo Ministério das Cidades destina até R$ 5 mil por família. Os valores só podem ser utilizados para reforma e compra de materiais de construção.

Quem estiver esperando para trocar um telhado, por exemplo, ou precisar de um "montinho" de areia para dar o acabamento final ao muro, poderá buscar os valores.


Municípios irão se habilitar
O projeto prevê que as prefeituras façam o cadastro junto ao Ministério das Cidades, informando a quantidade de famílias que podem utilizar o benefício. Segundo a titular da Secretaria Municipal de Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sthas), Ana Reckziegel, até o momento, o município de Lajeado não foi informado sobre as regras do programa. "Ainda estamos aguardando as orientações para disponibilizar o serviço para as famílias da cidade", explica.

Conforme a secretária, assim que o Ministério das Cidades informar as regras para habilitação das famílias, a Sthas irá abrir inscrições e divulgar o serviço à comunidade.


Saiba mais

- As regras do programa determinam que os estados e municípios farão a seleção dos beneficiários do cartão. Eles também ficam responsáveis por indicar os locais para compra de materiais, além de fornecer assistência técnica e fiscalizar a obra.
- O Cartão Reforma só pode ser utilizado para a compra de materiais, em estabelecimentos credenciados à Caixa Econômica Federal. A mão de obra para a execução da obra será por conta do beneficiário, ou do município que optar por entrar com o serviço para auxiliar as famílias.
- O município ou estado que receber o recurso vai ter assistência técnica para garantir a boa execução dos valores. Serão disponibilizados profissionais como arquitetos, engenheiros e especialistas que podem identificar a obra, formalizá-la e garantir que foi devidamente executada.
- O valor máximo disponibilizado por família será de R$ 5 mil, sem a necessidade de devolução dos recursos. A verba é custeada pelo Ministério das Cidades e visa fomentar as vendas no setor de varejo da construção civil.

 

Comments

SEE ALSO ...