Geral

Hospital Bruno Born garante que Emergência não vai fechar

Diretoria da entidade apresenta setor a vereadores e detalha atendimentos

Créditos: Matheus Aguilar
- Carolina Gasparotto/Câmara de Vereadores/divulgação

Lajeado - O encontro entre vereadores e diretoria do Hospital Bruno Born (HBB) terminou ontem sem uma definição sobre a forma de atendimento ao público na Emergência. Desde 1º de abril, quando um homem ateou fogo na recepção do setor, a casa de saúde manteve fechada a porta da frente, mas não deixou de prestar atendimentos. O tema e a possibilidade de votação de novos projetos que autorizam repasses ao hospital serão debatidos na manhã de hoje, na reunião das comissões da Câmara.

Diretores do HBB garantiram, no evento de ontem, que a Emergência nunca deixou de atender urgências e emergências e que isso não vai ocorrer. "O que nos alegaram é que foi uma maneira errada de se expressar. O que ficou fechada foi a porta da frente, mas que a lateral está sempre aberta", explica o presidente do Legislativo, Eder Spohr (MDB). Assim, a assistência segue para aqueles usuários do SUS encaminhados pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) ou socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). "Os casos que não são urgência nem emergência estão sendo recebidos na UPA ou postos de saúde", complementa o vereador.

Conforme Eder, os representantes do hospital mostraram números de atendimentos e apresentaram a Emergência e a UTI adulta. Ele destaca que o ofício entregue pela Câmara pede que o HBB faça uma prestação de contas do número de atendimentos. "E também queremos que mantenham a porta da frente aberta para receber quem busca auxílio", reforça.

Além de Eder, os vereadores Neca Dalmoro (PDT), Ildo Salvi (Rede), Paulo Tori (PPL) e Mozart Lopes (PP) participaram desta visita ao hospital. Na reunião de comissões desta manhã, vão apresentar aos demais parlamentares os que foi abordado para que se chegue a um acordo a respeito dos projetos sobre repasses ao HBB que tramitam na Casa e aguardam votação. O presidente do Legislativo acredita ser difícil que os textos estejam na ordem do dia de hoje. "Se avançou um pouco em relação ao que tínhamos na última semana, mas penso que essas votações só devem ocorrer na próxima terça", adianta.

O outro lado

Sobre o atendimento do setor, uma nota assinada pela diretoria do Hospital Bruno Born (HBB) e Secretaria Municipal da Saúde (Sesa) afirma que a "Emergência do HBB reabriu menos de 24 horas após o atentado e continuará aberta 24 horas por dia, todos os dias do ano, atendendo todos os pacientes referenciados pela UPA, Samu ou outros hospitais para quem o HBB seja referência." Conforme o texto, "pacientes provenientes de suas residências, empresas, indústrias ou da via pública que chegarem até a Emergência do HBB sem encaminhamento referenciado pela UPA, Samu ou outros hospitais para quem o HBB seja referência, serão acolhidos, triados e receberão atendimento no local se ficar caracterizado como de urgência ou emergência (classificação de risco vermelha ou amarela, observando os critérios técnicos estabelecidos pelo Ministério da Saúde)." A nota prossegue explicando que "pacientes que, depois de triados e classificados, sejam considerados casos de menor gravidade (classificação de risco azul ou verde) serão encaminhados para atendimento na UPA - Lajeado."

Comentários

VEJA TAMBÉM...