Geral

Hospital de Taquari atrasa cirurgias de lajeadenses

Repasses atrasados têm aumentado a fila de espera

Créditos: Renan Silva
- Lidiane Mallmann/arquivo

Lajeado - O atraso nas respostas do hospital de Taquari para pacientes de Lajeado sobre cirurgias eletivas tem gerado denúncias da comunidade. Na quarta-feira (21), após receber mais de 15 reclamações, o vereador Lorival Ewerling dos Santos Silveira (PP) fez um requerimento durante a sessão da Câmara.


O pedido é para que o secretário de Saúde e o prefeito de Lajeado, Glademir Schwingel e Luís Fernando Schmidt, esclareçam "a verdadeira situação dos pacientes que são encaminhados ao Hospital de Caridade São José", resume a justificativa do requerimento.


"Muitos munícipes procuraram a Secretaria de Saúde e foram encaminhados para Taquari. Chegam lá, fazem os procedimentos pré-operatórios para a cirurgia e são encaminhados de volta pra Lajeado. Falam para eles que em no máximo 15 dias terão retorno para a cirurgia. Mas eles ficam três ou quatro meses esperando e não recebem resposta. Ninguém sabe o que está acontecendo", enfatiza o vereador.


Segundo o parlamentar municipal, o município não deu uma boa justificativa sobre o motivo de mandar os pacientes para Taquari ao invés de utilizar o Hospital Bruno Born. "Explicaram que Taquari se torna mais barato, mas é o Estado que paga as cirurgias eletivas", enfatiza.


"O caso que mais me chamou a atenção foi o de uma criança de três anos, do Bairro Santo Antônio. A mãe me procurou porque a filha tem tipo uma carne esponjosa dentro do nariz e não consegue dormir de noite, pega no sono e não consegue respirar. Os pais ficam a noite toda se revezando para cuidar da criança. Estão esperando retorno há três meses. É uma situação que não pode ficar sem resposta", critica.


O outro lado


Secretário de Saúde de Lajeado, Glademir Schwingel explica que o Hospital Bruno Born ainda não oferece cirurgia geral para toda a região. "Fazemos mutirões no HBB, mas com isso gastamos dinheiro dos lajeadenses. Em Taquari, as cirurgias são pagas pelo Estado. O problema é que o Estado não paga com regularidade o hospital de Taquari, e por isso estão com dificuldades para manter o contrato", esclarece.


Segundo Schwingel, é papel do município fazer o agendamento da consulta e o transporte dos pacientes para irem a Taquari para a consulta pré-cirúrgica. "Eles ficam no aguardo da data para a cirurgia, mas a data não sai porque o hospital não tem recebido e fica com dificuldades para manter a equipe de cirurgiões", acrescenta. "Não controlamos o agendamento das cirurgias. Quem controla isso é o próprio hospital e sua equipe de médicos."


As principais cirurgias encaminhadas para Taquari são de vesícula, hérnias em geral e varizes. "No HBB, fazemos as cirurgias de urgência, quando não se pode mais esperar pelas eletivas", esclarece. "Eu compreendo a preocupação do vereador Lorival. Este período motiva preocupações, mas independente de qual candidato venha a vencer, esse problema é insolúvel se o Estado não pagar com regularidade."


Saiba mais


Um Projeto de Lei foi encaminhado à Câmara de Vereadores do Lajeado para que o legislativo municipal disponibilize R$ 500 mil em recursos próprios para um novo mutirão de cirurgias no HBB. De acordo com Schwingel, a fila de espera no município é de aproximadamente mil pessoas - o recurso disponibilizado para o mutirão seria suficiente para fazer de 300 a 350 cirurgias.


Há ainda uma discussão para que se retire a credencial de Taquari e a passe para Arroio do Meio. A possibilidade foi debatida no início do mês, mas postergada para um novo debate no dia 4 de outubro, após as eleições municipais.

Comments

SEE ALSO ...