Polícia

Jovem é sequestrado no Planalto

Ocorrência de ontem foi a terceira em quatro dias. Crimes podem ter relação com guerra do tráfico em Lajeado

Créditos: Caroline Garske
GUERRA DO TRÁFICO: após raptarem o menino de 15 anos, Kia Sportage utilizado no sequestro foi incendiado na localidade de Picada Scherer - Lidiane Mallmann

Lajeado - Na tarde de ontem, por volta das 17h, um adolescente de 15 anos foi sequestrado por homens encapuzados e armados que conduziam o veículo Kia Sportage, placa MDE-8392, de Flores da Cunha. O menino estava na casa de seu pai, onde também funciona uma oficina, na Rua Oscar Pedro Scherer, Bairro Planalto, quando os criminosos pularam a cerca e o levaram. Segundo populares, eles saíram atirando para cima com uma pistola calibre .40 com o objetivo de assustar a comunidade.

PROJÉTIL: criminosos saíram atirando para cima após sequestrarem menino


O sequestro pode ter relação com os crimes ocorridos no último sábado e nesta segunda-feira. No sábado, na mesma rua, Jéferson de Lima (17) estava sentado na frente de uma residência, quando foi assassinado com um tiro na cabeça. Já na segunda-feira, T.V.N, de 28 anos, foi alvejado diversas vezes no abdômen e nas pernas. Ele estaria ligado ao tráfico de drogas da região. Quando foi atingido pelos tiros, o homem estava na mesma oficina de onde o menino foi levado ontem.


Os homens teriam sequestrado jovem como forma de vingança à família dona da oficina. Segundo informações da Brigada Militar, a hipótese é de que os criminosos suspeitassem que o pai do jovem teria denunciado que T.V.N. estava no local. Em Picada Scherer, no interior de Lajeado, o Kia Sportage utilizado no sequestro foi localizado totalmente incendiado. Os criminosos levaram o menino em outro veículo e fugiram. Até o fechamento desta edição, a BM realizava buscas na região.

SEQUESTRO: bandidos pularam grade da residência para raptarem filho do dono de uma oficina



"É quase um Grenal de facções", diz delegado

O titular da Delegacia de Polícia de Lajeado, Márcio Moreno, afirma que há indícios de que o crime de tentativa de homicídio da tarde de segunda-feira tenha relação com a execução ocorrida sábado. Moreno explica que tudo está ligado à disputa por territórios das facções criminosas atuantes em Lajeado. "Esses crimes estão vinculados, na sua grande maioria ou na sua integralidade, à facções criminosas. A briga nunca é pessoal, ela sempre decorre de pontos de vendas de tráfico. É tudo por proteção de território", conta.


O delegado explica, ainda, que as facções Bala na Cara e Os Manos estão presentes em Lajeado, sendo as responsáveis pelos conflitos armados que acontecem na região. "Tem-se, hoje, uma disputa em Lajeado de duas grandes facções. É quase um Grenal de facções em termos de dualidades de forças. Há facções menores que se unem a estas grandes organizações. Nenhuma prepondera sobre a outra, por isso a gente tem tanto conflito", ressalta.


Mas por que o Bairro Planalto vem sendo local de frequente disputa territorial destas organizações criminosas? Segundo o delegado Moreno, a criminalidade aumenta de forma progressiva e, assim, se estende a territórios que não eram visados com tanta frequência. "A tendência é que cada vez tenha menor delimitação de território. Como tráfico e homicídios são crimes ímãs, ou seja, atraem outras práticas criminosas, começa a ter, em alguns bairros que não tinha nada, um aumento de roubo a residências e, ocasionalmente, vai se ter homicídios. O crime precisa ocupar espaços, ainda que ele vá, eventualmente, a espaços que ele nunca dominou."

 

BUSCAS: policiais militares procuraram os criminosos e o jovem

Comentários

VEJA TAMBÉM...