Geral

Linha Orlando comemora centenário

Comunidade fundada por descendentes de imigrantes alemães organiza festividades

Créditos: Alício de Assunção
REFORMAS: templo da IECLB recebe pintura e telhado novo para as comemorações - Alício de Assunção

Marques de Souza - O feriado do dia do trabalho será comemorado de forma especial na pequena comunidade de Linha Orlando, localizada a cerca de sete quilômetros do Centro da cidade, às margens da estrada geral que liga o município com Rui Barbosa em Canudos do Vale e Xaxim em Progresso. Evento religioso e festivo organizado pela Comunidade da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) marcará o centenário da comunidade, fundada por descendentes de imigrantes alemães que chegaram à localidade em maio de 1919. Na igreja, que nesse ano completa 50 anos de construção, inicia a programação com culto que contará com apresentações do Coral Apollo de Marques de Souza e o grupo de canto local, o Coral 1º de Maio, prosseguindo as festividades no salão do Esporte Clube Juventude, com almoço, escolha do Piá e Boneca da festa e reunião dançante animada pela banda Novo Mundo. "Um dia de gratidão e muita alegria para comemorarmos com a comunidade e ex-moradores os 100 anos de muito trabalho e conquistas. Somos um pequeno grupo de moradores que se doam para que a bonita história de nossa localidade não se perca no tempo", destaca o presidente da comunidade, Oterno Bugs. A igreja da IECLB recebe nessa semana melhorias no telhado e pintura nova. "Uma forma também de comemorarmos nosso centenário", emenda Bugs.

 
Resgate

Na história resgatada em obra publicada pelo professor Armindo Müller consta que a Linha Orlando fazia parte das antigas colônias pertencentes à empresa Bastos, Klenzen & Cia. Um dos sócios teria doado terras da localidade a uma afilhada, viúva de um colono chamado Orlando, daí se originando o nome Linha Orlando. Em 1911, a viúva solicitou a Gustav Jäger para que realizasse a medição e a venda de lotes das terras. Era uma área constituída por muitas matas e por volta de 1919 chegavam as famílias desbravadoras de Carl Bernstein, João Stacke, Franz Döbber, Germano Bernstein, Nikolaus Schroeder, Eduard Conrad e Valentin Cornelius. Estes primeiros habitantes pertenciam às comunidades religiosas Missouri de Linha Tigrinho e Sinodal de Bastos e Nova Berlim Forqueta. O primeiro Pastor que visitou a comunidade foi Walter Mummelthey, que para chegar até a região, que é muito montanhosa, utilizava um cavalo, realizando os cultos em casas de famílias. A criação de uma sociedade local aconteceu em assembleia de moradores em 29 de agosto de 1919, na residência de João Stacke, onde também foi realizado contrato com Wilhelm Espich para a construção de um templo, no valor de 600 mil réis. Eduard Conrad doou o terreno e 100 mil réis. Dezesseis membros integravam inicialmente a comunidade. Uma pequena capela foi concluída provisoriamente e pode ser inaugurada no dia 22 de Maio de 1920. Em 1968 foi inaugurada a atual igreja da IECLB e que agora completa 50 anos. Também na localidade existe a comunidade católica que foi fundada em 1910 , tendo como padroeira Santa Terezinha. Os fundadores foram José Welter, João Zanatta, Franciso Giovanella, Pedro, Jacó e Fioravante Tomazzi. A comunidade é composta por cerca de 30 moradores que se dedicam à avicultura, suinocultura, criação de gado de leite e reflorestamento.

REFORMAS: templo da IECLB recebe pintura e telhado

Comments

SEE ALSO ...