Geral

Ministra promete reavaliação de INs

Após reunião de membros de grupo de trabalho contrário às Instruções Normativas 76 e 77 em Brasília, cadeira leiteira do Vale do Taquari recebeu promessa de readequação nas novas regras

Créditos: Cristiano Duarte
PREOCUPAÇÃO: produtor César Meinerz, de Linha Lenz, em Estrela, teme inviabilidade da nova regra - Lidiane Mallmann

Vale do Taquari - A discussão acerca das Instruções Normativas 76 e 77 preocupa, em especial, produtores com rebanhos maiores de vacas leiteiras no Vale do Taquari. É o caso da família Meinerz. Em sua propriedade, na Linha Lenz, em Estrela, são 100 vacas leiteiras que produzem pelo menos 3 mil litros por dia.


"Com estas novas regras, se um animal estiver com alguma pequena alteração no leite, toda produção de um mês poderá ser comprometida. É praticamente impossível para nós nos adaptarmos a esta exigência", ressalta César Mainerz.

SETOR LEITEIRO: novas Instruções Normativas preocupam produtores do Vale do Taquari. Governo promete novo debate


Ainda segundo ele, como se não bastasse a instabilidade sobre a variação de preço do litro de leite, agora os produtores são ameaçados com uma nova imposição. Há um ano, a família Meinerz investiu mais de R$ 1 milhão num carrossel para tirar leite. Este maquinário reduziu em mais de uma hora o tempo de ordenha do rebanho: de 2h15min para 1h10min. "Estas normas prejudicam o lado mais fraco; nós, os produtores. Muitas vezes a qualidade que a gente entrega não é a mesma colocada pelas empresas no mercado", critica.


De acordo com a presidente do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat), Cíntia Agostini, as novas Instruções Normativas atingiriam cerca de 50% da cadeia produtiva da região que não teria condições de atender as demandas propostas.


Ontem, uma comitiva composta por representantes da cadeia leiteira, sindicalistas, técnicos e parlamentares do Vale do Taquari entregou um documento à ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, em Brasília, solicitando alteração de quatro itens nas INs.


"Entendemos que estas Instruções Normativas são inadequadas à realidade vivenciada pela indústria e pelos produtores", afirma o presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag/RS), Carlos Joel da Silva. Segundo ele, a ministra Tereza Cristina compreendeu as dificuldades impostas aos produtores com as novas regras e prometeu reavaliar as INs com a Câmara Setorial do Leite.


Um novo acordo deve ser firmado pelo governo federal nos próximos dias.


"Por enquanto, as INs não entrarão em vigor sem antes passar por uma nova discussão", diz o presidente da Fetag.

 


Saiba mais

A Instrução Normativa 76 propõe regulamentos técnicos para a identificação e qualidade do leite cru, do leite pasteurizado e do leite pasteurizado tipo A. Em relação à IN 77, ela estabelece novos critérios e procedimentos para a produção, acondicionamento, conservação, transporte, seleção e recepção do leite cru em estabelecimentos registrados no serviço de inspeção oficial, revogando as INs 62/11, 07/16 e 31/18.

 

Comments

SEE ALSO ...