Geral

Moradores buscam alternativa para lixão a céu aberto

Terreno público localizado no acesso ao bairro é utilizado como depósito de resíduos

Créditos: Julian Kober
POLUIÇÃO: barranco, limpo há poucos dias, é depósito de lixo - Julian Kober

Lajeado - Um barranco na Rua Rio Grande do Sul, o principal acesso ao Bairro Santo André pela BR-386, está sendo utilizado como um lixão a céu aberto. Apesar da placa "Proibido jogar lixo", instalada pela prefeitura há pouco tempo, mas derrubada, o local ao lado de uma praça é um depósito irregular para todo o tipo de resíduo. De móveis velhos, material de construção, roupas, eletrônicos, bichos mortos a restos de alimentos, que atraem animais peçonhentos e cobras.

De tempos em tempos, uma equipe da prefeitura remove o lixo jogado no barranco - a mais recente limpeza foi antes do Natal. Mas, em poucos dias, voltou a ficar entupido de entulhos, dando a impressão de que o problema está longe de ter fim. Para o presidente da Associação de Moradores do Bairro Santo André, Jair Valmir Kern, o lixão prejudica a imagem desta parte de Lajeado. "Quem não é daqui entra e dá de cara com aquilo lá. Fica ruim para quem vive aqui."

A situação, que se agravou nos últimos meses, preocupa quem reside nas proximidades. Dona Maria Luiza Garcia (71), que vive a poucos metros do lixão, é uma das mais afetadas, principalmente por conta das queimadas. "Minha casa fica coberta por uma fumaça preta. Já tive que chamar os bombeiros várias vezes aqui. Quase morri por causa disso", relata a moradora, que enfrenta as consequências do câncer.

Por conta disso, dona Maria costuma ir até o barranco para recolher o lixo. "Infelizmente, não consigo tirar tudo. E no dia seguinte, já colocam mais", afirma. Ela e os vizinhos já flagraram pessoas jogando resíduos no local. A maior parte delas nem é do bairro, segundo a moradora. "Tem gente que chega de carro, caminhonete e até caminhão para descarregar lixo. É triste isso, desrespeito com quem vive aqui", desabafa dona Maria, que espera uma solução para o problema.

Contra o rótulo

Morador do Bairro Santo André, o suplente de vereador Jones Barbosa da Silva (MDB) guarda diversas gravações que flagram as pessoas jogando lixo no barranco. "Fomos rotulados como lixão pelos demais bairros. Vem gente do Campestre, São Cristóvão e Olarias até aqui só largar lixo." Silva procurou a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema) com propostas para sanar o problema. A ideia inicial era fazer um muro de contenção. Porém, o morador e o titular da pasta, Luis André Benoitt, tiveram a ideia de construir um jardim no espaço. O líder comunitário espera que os trabalhos comecem ainda no início de 2019. "Tem que ser algo lindo que, depois de pronto, a pessoa vai dar atenção para a placa de 'Proibido jogar lixo' e tomar vergonha", afirma. A proposta é que o jardim conte com flores e chás medicinais, plantadas por alunos e o grupo de idosos, para envolver a comunidade e conscientizar os moradores da importância de manter o espaço limpo. "Queremos acabar com esse rótulo de lixão. Este não pode ser o cartão-postal do nosso bairro."

MOBILIZAÇÃO: Jones Barbosa da Silva, morador do Santo André, apresenta alternativas para lixão

 

Comments

SEE ALSO ...