Geral

Pesquisa de preço pode resultar em economia no supermercado

O jornal O Informativo do Vale pesquisa a cesta básica em três estabelecimentos. Diferença na soma de 34 itens é de 3,2%

Créditos: Luciane Eschberger Ferreira
Setor de carne registra maior diferença entre um estabelecimento e outro

Lajeado - O jornal O Informativo do Vale, a partir de outubro, passa a fazer a pesquisa mensal da cesta básica. A seleção de itens baseia-se na cesta básica pesquisada pela Associação Gaúcha de Supermercados (Agas). Os preços são verificados em três redes de supermercados com unidades em Lajeado. São consideradas marcas líderes de mercado e dispensadas ofertas de ocasião. Os dados são coletados nos últimos dias úteis do mês, neste caso, em 30 e 31 de outubro.
Conforme os dados apurados, a diferença entre o maior e menor preço da cesta, supermercados A e C, respectivamente, foi de 3,2%.
O grupo de produtos com maior variação foi o das carnes, com 12,8% do supermercado A para o C. A menor variação ficou entre os hortifrutigranjeiros, 0,94% entre o estabelecimento B e C. Higiene e limpeza registrou diferença de 2,5% entre o mais caro (C) e mais barato (B). O setor de mercearia teve uma variação de 2,56% entre o comércio A (mais caro) e B (mais barato).

 

Em questão

O jornal O Informativo do Vale ouviu o economista Carlos Giasson sobre formas de economizar quando se compram alimentos, higiene e limpeza.

O Informativo do Vale - O que é mais vantajoso: comprar no supermercado que o valor total da compra sai mais barato ou comprar um pouco em cada lugar?
Carlos Giasson - O consumidor deve levar em consideração os custos indiretos do ato de fazer as compras no mercado, como o custo de deslocamento, estacionamento e, principalmente, o tempo gasto nas compras. Tempo é dinheiro, como se costuma dizer, então ao usar o tempo fazendo compras, se deixa de fazer outras coisas, sejam produtivas ou de lazer. Sendo assim, o ideal seria poder comprar tudo em um mesmo local, mas nem sempre é possível ou compensa.

O Informativo do Vale - Quando se economiza mais: indo no mercado um vez por semana ou fazendo rancho para o mês?
Giasson - No momento atual de inflação baixa, não há uma variação grande de preços dentro de um mesmo mês como havia em outras épocas. Sendo assim, essa decisão deve ser tomada considerando a realidade de cada família: se mora perto do comércio, se usa carro próprio ou transporte coletivo, se consome muito ou pouco de determinado produto. Não há uma regra geral, deve ser avaliado caso a caso.

O Informativo do Vale - Produtos que estão em oferta devem ser adquiridos em maior quantidade e estocados?
Giasson - Em geral, quando são produtos não perecíveis ou de prazo de validade maior, como os de higiene e limpeza, é vantajoso fazer um pequeno estoque quando encontrá-los em promoção. Produtos perecíveis, como legumes, carnes e pães podem ser adquiridos em pequenas quantidades nos comércios de bairro, pois manter um freezer em funcionamento para estocar comida é muito caro.

O Informativo do Vale - Poderia dar mais algumas dicas para gastar somente o necessário?
Giasson - Quanto mais processados e industrializados forem os produtos, mais caros serão em comparação com produtos "in natura", por isso preparar as próprias refeições com produtos frescos normalmente é mais barato do que comprar comida congelada, além de ser mais saudável.
Também é recomendável fazer uma lista do que está faltando antes de ir às compras para evitar compras desnecessárias por impulso.

 

Confira o comparativo de preços na edição impressa.

Comentários

VEJA TAMBÉM...