Geral

Prefeitura de Lajeado e Defesa Civil mobilizadas após temporal

Telhado do Posto de Saúde do Bairro São Cristóvão foi arrastado e sua estrutura foi comprometida

Créditos: da Redação
galhos caíram sobre o Posto de Saúde do Bairro São Cristóvão - Rafael Scheeren Grün

Lajeado - A Prefeitura de Lajeado e a Defesa Civil do município seguem mobilizadas após o temporal que acometeu a cidade na noite de terça-feira (30/10). Até às 11h desta quinta-feira (1º/11), a Defesa Civil de Lajeado contabiliza 57 notificações de residências destelhadas, muros, árvores e postes de iluminação derrubados pela força do vento. "Não temos registros de alagamentos e de risco de deslizamentos, pois os problemas se deram em função de vento muito forte", destaca o coordenador da Defesa Civil de Lajeado, Heitor Hoppe. Conforme ele, o Bairro Santo Antônio foi o mais atingido, mas estragos em residências e empresas ocorreram também nos bairros Morro 25, Hidráulica, Americano, São Cristóvão, São Bento, Santo André e Campestre. Uma pessoa ficou ferida no Bairro São Bento em função de uma árvore ter caído sobre sua casa, mas após ser atendida na UPA já foi liberada pela equipe médica. No momento, o jovem que ficou ferido e sua mãe estão abrigados na casa de parentes. Até o momento, a Defesa Civil forneceu 1.200 m² de lona para cobrir os telhados avariados em todo município. Para contatar a Defesa Civil, o telefone de contato é 3982-1150.

Posto de Saúde no Bairro São Cristóvão

O vento forte acometeu o telhado de um dos prédios do Posto de Saúde do Bairro São Cristóvão. No local, existem dois prédios, sendo que o prédio que fica mais ao alto foi o mais atingido. O telhado foi arrastado cerca de 1,5 metro, tendo sua estrutura avariada. Como há chapa, não choveu muito para dentro do prédio. O prédio que fica mais abaixo, teve uma das telhas quebradas pela queda de um galho, mas na manhã desta quinta-feira equipes da Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Seosp) trocaram a telha quebrada e solucionaram o problema. No local também foram retirados galhos de árvores que cairam com o temporal.

Atendimento

Conforme o secretário de Saúde (Sesa) de Lajeado, Tovar Gandi Musskopf, o atendimento do Posto do Bairro São Cristóvão, bem como o atentimento da equipe da unidade do Bairro Campestre, que atua provisoriamente no São Cristóvão em função das obras do Posto de Saúde do Bairro Campestre não estarem concluídas, sofrerá ajustes. A partir de segunda-feira, dia 05/11, voltam a funcionar no São Cristóvão os atendimentos da clínica médica, de nutricionista, odontológica, psicológica, bem como a entrega de medicamentos.

A alteração se dará com os atendimentos de ginecologia, que passam a ser realizados, a partir de 05/11, no Posto do Bairro Montanha, assim como os atendimentos da pediatria, que serão realizados no Posto do Bairro Centro. Assim que o telhado do Posto do Bairro São Cristóvão for consertado, os atendimentos de pediatria e ginecologia voltarão a ser prestados no local. Segundo o secretário, os pacientes estão sendo contatados por telefone para que não percam suas consultas, de maneira que ninguém seja prejudicado em função da alteração que se fez necessária.

Obras

Equipes da Seosp e da Coordenadoria de Serviços Urbanos trabalham na retirada de árvores que cairam com o temporal. Outras equipes recuperam estradas que foram avariadas, em especial nos bairros Conservas, Santo Antônio e Jardim do Cedro, onde calçadas de passeio e vias ficaram com muita lama depositada. De acordo com o titular da Seosp, nenhuma rua encontra-se obstruída impedindo a passagem de veículos.

Corte de árvores

A Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) está trabalhando de forma diferenciada com as solicitações de supressões de árvores em razão do temporal. Para isto, quem tiver eventos de queda de árvores nativas ou exóticas deverá informar a situação pelo telefone 3982-1101. As equipes da Sema farão visitas e registrarão os fatos. Conforme o titular da secretaria, Luis Benoitt, informar a SEMA evitará problemas futuros de supressões não autorizadas, que são passíveis de multa. Além disso, a comunicação também facilita o recolhimento da vegetação excedente.

Comentários

VEJA TAMBÉM...