Geral

Taxista critica vídeo da vereadora Mariela Portz na tribuna livre

Para motorista, publicação de tucana em que compara preços de táxi e Uber prejudica a classe

Créditos: Julian Kober
DEFESA: representando taxistas, Oneide Moraes Camargo acusa Mariela Portz de prejudicar a classe com vídeo publicado nas redes sociais - Julian Kober

Lajeado - Um vídeo postado pela vereadora Mariela Portz (PSDB) nas redes sociais, no qual compara serviços de táxi e Uber no município, foi motivo de discussão na Câmara de Vereadores durante a sessão de ontem. O taxista Oneide Moraes Camargo utilizou a tribuna livre para criticar a publicação, tachando-a de desfavorável à classe e favorável aos motoristas que trabalham no aplicativo.

No conteúdo, publicado no Facebook no final de março, a tucana faz uso dos dois serviços de transporte para deslocar-se do posto de saúde no Bairro Olarias até a Câmara. A vereadora afirma que o trajeto, de seis quilômetros, custou R$ 28 no táxi e R$ 8 pelo Uber.

Camargo, representando a classe, afirma que o vídeo prejudicou ele e outro colega que trabalha no ponto onde Mariela solicitou o transporte. "Ela deveria ter chamado um de nós, mas não chamou. Foi uma colocação infeliz da vereadora. Perdi bastante clientela por causa disso", afirma.

Em relação à tarifa de Uber, o taxista ressalta que o valor pode variar dependendo do horário e da demanda. "Talvez ela não está ciente, mas no aplicativo há um horário vermelho onde o valor é quatro vezes maior que a tarifa de táxi." Quanto ao preço do táxi, trata-se de um valor determinado pela lei. "É um valor aprovado pela Câmara. A prefeitura impôs isso. Não somos nós que colocamos o preço. Se dependesse de nós, poderíamos colocar outro valor."

Camargo frisa que a classe não tem como competir com o preço do aplicativo, diante dos gastos para manter um táxi rodando. Embora os taxistas não sejam contra o Uber, defende a necessidade de regulamentar e fiscalizar este serviço e os irregulares. "A concorrência é muito desleal. Temos que ter alvará e uma série de documentos exigidos pelo município. Pagamos impostos que retornam aos cofres públicos. Os motoristas de aplicativo ou os clandestinos não precisam."


O outro lado

Com a plenária ocupada por mais de dez taxistas, a vereadora Mariela Portz (PSDB) esclareceu a publicação. Afirma que a intenção do vídeo era fazer um comparativo entre os serviços, considerando qualidade de atendimento, agilidade e valor. "Os dois percorreram quase o mesmo caminho. Talvez o incômodo maior foi em relação à diferença de valores. Em nenhum momento foi para desmerecer a categoria."

Acredita que nenhum tipo de transporte prejudica o outro e que, a exemplo de outras cidades, táxi e Uber podem conviver tranquilamente. "Fiz uma pesquisa sobre todos os valores e isenções que táxis e aplicativos ganham e pagam, quanto custa a placa e o ponto. Fizemos este comparativo para votar com tranquilidade o projeto de lei."

Para a tucana, a lei dos táxis é muito antiga - a primeira em 1956 e a segunda em 1986. "Tem muitas coisas que a gente pode melhorar para poder ajudar vocês. Quanto mais pessoas tiverem compartilhando carros, melhor para a nossa cidade."

Ao fim, a vereadora perguntou ao taxista Oneide Moraes Camargo se havia planos para a criação de um aplicativo. Em resposta à Mariela, afirma que já existe um programa chamado Unitáxi, semelhante ao Uber. Camargo não ficou satisfeito com a explicação da vereadora. "Em nenhum momento ela pensou em se retratar. Somos cidadãos de Lajeado, contribuímos para a cidade, diferente de quem ela apoia."


Legislativo pede vistas a projeto de parklet

Durante a sessão, entrou em votação o projeto de lei Nº 139-02, que regulamenta a instalação e o uso de extensão temporária de passeio público, denominada "parklet". De autoria do Executivo, a legislação tem o objetivo de implantá-los para humanizar e democratizar o uso da rua.

No entanto, a pedido do vereador Sérgio Miguel Rambo (PT), o legislativo decidiu adiar a votação da lei e aprovou vistas por 14 votos a um. Mariela Portz (PSDB) foi a única a votar contra. O petista solicitou mais tempo para analisar o projeto. "Há várias dúvidas em relação a propostas, principalmente quanto ao critério para escolha de quem instalará o parklet. Precisamos de uma discussão mais ampla antes de aprovar."


Projetos aprovados

Projeto de lei Nº 033-03/2019 - Autoriza o Poder Executivo a abrir crédito especial, no valor de R$ 455.938,22, à secretaria de Obras e Serviços Públicos para execução de obra de capeamento asfáltico da Rua Bento Rosa.

Projeto de Lei CM Nº 029-03/2019 - Institui em Lajeado o Dia Municipal da Fibromialgia, comemorada no dia 12 de maio. A iniciativa, do vereador Ildo Paulo Salvi (Sustentabilidade), visa atender a demanda de parte da população municipal que é acometida pela fibromialgia, doença crônica que causa imensas dores e transtornos aos seus pacientes. O projeto também determina que o Poder Executivo realize palestras, debates, aulas e seminários para conscientizar e divulgar informações sobre a doença.

Projeto de Lei CM Nº 030-03/2019 - Determina a inclusão das pessoas diagnosticadas com fibromialgia nas filas prioritárias e permite que estacionem em vagas regulamentadas para deficientes.

 

Comments

SEE ALSO ...