Geral

Vacinação contra sarampo reforça importância da prevenção

Surtos no Norte do país servem de alerta. Sem casos na região, campanha de imunização será em agosto

Créditos: Carolina Schmidt
Imunização: campanha será para vacinar crianças de 1 até menos de 5 anos - Ministério da Saúde/divulgação

Vale do Taquari - Recentes surtos no Norte do país acenderam o alerta contra o sarampo, uma doença já considerada erradicada no Brasil. A Campanha Nacional de Vacinaação contra Poliomielite e o Sarampo ocorre entre 6 e 31 de agosto, voltada para crianças entre 1 e 5 anos. O secretário da Saúde de Lajeado, Tovar Musskopf, orienta as pessoas para que busquem as unidades de saúde, pois as doses estão disponíveis o ano todo. "Mesmo com a campanha voltada aos pequenos, todos precisam se imunizar. Assim, a comunidade fica protegida e saudável." Em Lajeado, a meta é vacinar quatro mil crianças na campanha, público semelhante à imunização contra a gripe.

Musskopf destaca que, em outros países, as pessoas não buscam a vacina, em função de boatos. No entanto, ele tranquiliza a comunidade e diz que a dose é confiável e são raríssimos os casos em que ocorrem alergias. "É preciso a prevenção, conseguimos eliminar a doen­ça por causa da imunização." O médico também reforça para que a carteirinha de vacinação seja levada ao posto.



O Rio Grande do Sul tem sete casos confirmados de sarampo, todos importados. A coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Lajeado, Juliana Demarchi, diz que não há nenhum em Lajeado. E os das demais cidades gaúchas foram contraídos em outros Estados ou relacionados a estes. "Ressalta-se que a melhor forma de evitar surtos é manter a população protegida, por meio da imunização. Busque uma unidade de saúde para atualizar o esquema vacinal." Juliana lembra o surto da doença no Brasil na década de 1960. Em Lajeado, não são registrados casos há mais de dez anos.

Na região

O titular da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde, Ramon Zuchetti, observa que também não há casos de sarampo confirmados no Vale do Taquari. Segundo ele, os municípios podem adequar o horário de vacinação de acordo com a necessidade e realidade da população. Em Encantado, por exemplo, a Secretaria de Saúde definiu que, no momento, as doses estão disponíveis no Posto de Vacinas do Bairro Navegantes.

No entanto, de acordo com Zuchetti, no Dia D, em 18 de agosto, os postos da região precisam seguir o horário nacional de atendimento, que é das 8h até as 17h.

Estrela debate imunização

A Secretaria de Saúde de Estrela realizou, na manhã de terça-feira, reunião para definir ações referentes à vacinação contra o sarampo, entre o titular da pasta, Elmar Schneider, e a equipe de Vigilância Epidemiológica. A coordenadora do setor, a enfermeira Carmen Hentschke, alerta para a imunização. "A vacinação é realizada apenas duas vezes na vida, sendo que a primeira dose é feita com 12 meses, através da vacina Tríplice Viral, e a segunda com 15 meses, com a Tetraviral. Por isso, é bem provável que todos os adultos já a tenham feito, ainda mais houve campanhas nacionais anos atrás", detalha. Em 2002, houve aplicação de doses em mulheres até 40 anos e, em 2008, de mulheres e homens até 40 anos com a vacina dupla viral, que protege contra o sarampo e rubéola.

No encontro, também foram debatidas orientações a serem passadas aos pais de crianças de 3 e 5 meses de vida, público-alvo da vacinação contra a meningite C, mas cujas doses cedidas pelo Ministério da Saúde estão em falta. Nova remessa só deve ocorrer no próximo mês.

Saiba mais

A doença

O sarampo é uma doença causada por um vírus e pode levar à morte se não tratada. Os sintomas iniciais são febre, tosse, irritação ocular, corrimento no nariz, manchas vermelhas na pele, podendo causar infecção nos ouvidos, pneumonia e convulsões. A transmissão ocorre pelo ar, através da tosse, espirro, fala ou respiração e é contagiosa. O sarampo pode passar de mãe para filho na gravidez. A única forma de prevenção é a vacina. Quem já está imunizado, não é necessário repetir a aplicação.

As doses

A rede pública de saúde disponibiliza gratuitamente a vacina Tríplice Viral para a população de 12 meses a 49 anos e para profissionais de saúde de acordo com o esquema preconizado. Até os 29 anos, são necessárias duas doses contra o sarampo. De 30 até 49 anos, uma. Acima de 50 anos não é preciso, pois as pessoas da faixa etária já tiveram contato com o vírus. Além de proteger contra o sarampo, a tríplice também mantém longe a caxumba e rubéola.

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...