Grêmio

Pela porta da frente

Marcelo Grohe é vendido para o futebol árabe

Créditos: Guilherme Rossini
Atuações na Libertadores de 2017 o credenciaram como um dos maiores jogadores da história do Grêmio - Lucas Uebel/Grêmio/divulgação

Porto Alegre - Desde 2005 na equipe profissional do Tricolor, o goleiro disputou mais de 400 jogos na meta gremista, e é o segundo goleiro mais longevo na história do clube, ficando somente atrás de Eurico Lara, em uma época que o futebol do time nem profissional era. Ao todo, foram praticamente 13 anos no Tricolor e quatro títulos conquistados: um Brasileirão da Série B; uma Copa do Brasil; uma Recopa Sul-Americana e o mais importante de sua história, a Copa Libertadores da América, em 2017. O jogador e o clube receberam uma proposta do Al-Ittihad, dos Emirados Árabes, de cerca de R$ 11,5 milhões, acertando a saída do atleta de 31 anos.
Apesar do longo período em Porto Alegre como integrante do grupo profissional do Grêmio, foi somente em 2014 que o atleta se firmou como titular do time. Antes disso, ele sempre foi muito contestado pela torcida e diretorias que passaram pelo Tricolor. No entanto, após a reestruturação do clube, que começou a viver um momento de um futebol praticado com uma nova identidade, o camisa 1 se mostrou peça fundamental nessa nova era da equipe. Com isso, o antes criticado se tornou unanimidade, fazendo defesas importantíssimas e participando da época mais vitoriosa do time no século XXI.

 

O novo camisa 1
Paulo Victor será o novo titular da meta Tricolor e, ao que tudo indica, ele teve um 2018 de preparação e adequação a essa responsabilidade. Na última temporada, com as lesões de Marcelo Grohe, o goleiro participou de 24 partidas no ano, o que é considerada uma grande quantidade para um arqueiro reserva. A média dele em 2018 foi de 0,96 gol sofrido por jogo, ou seja, inferior a um por partida.

Comments

SEE ALSO ...