Internacional

Coréia do Norte confirma teste com bomba de hidrogênio

Para o presidente norte-americano, país se mostra hostil e perigoso


- Foto KCNA/Fotos Públicas

Pyongyang (Coréia do Norte) - A Coreia do Norte testou neste domingo (3) sua bomba atômica mais potente até o momento, um artefato termonuclear ou bomba H, que, segundo o regime, pode ser instalado em um míssil intercontinental. Se confirmado, isso representa um importante e perigoso aumento de suas capacidades militares. 

O sexto experimento nuclear norte-coreano e segundo supostamente realizado com um artefato termonuclear culmina um período de frenética atividade armamentista por parte do regime de Kim Jong-un, após testar mais de uma dezena de mísseis balísticos desde o começo do ano, entre eles dois intercontinentais.

Essa intensificação coincidiu com a chegada de Donald Trump à Casa Branca, em janeiro passado - o de hoje é o primeiro teste atômico norte-coreano sob seu mandato -, e gerou uma das piores crises de segurança na região nos últimos anos.

O novo experimento atômico ocorreu neste domingo (3) por volta das 12h30 (horário local, 0h30 em Brasília), quando os institutos sismológicos de Seul, Tóquio e Pequim detectaram um forte terremoto de origem aparentemente artificial devido a sua pouca profundidade e com hipocentro na província onde a Coreia do Norte realizou seu teste nuclear anterior.

 

Reação

Assim que ficou sabendo do teste, o presidente norte-americano Donald Trump se menifestou no Twitter. Segundo a postagem em seu perfil, ao realizar este teste a Coréia do Norte passa a ser um país "hostil e perigoso". 

Comentários

VEJA TAMBÉM...