Mulheres que transformam 2019

Mariângela Costa Schneider

Por um mundo melhor

Créditos: Kassieli dos Santos
Eu sempre pensava que um dia faria algo muito bom pelo mundo, e a primeira atitude boa que eu pude fazer foi me tornar professora? - Julian Kober

Ela tem um projeto grandioso: fazer a diferença no mundo. Determinada, mudou sua história e hoje leva motivação e alívio às dores da alma daqueles que encontra em seu caminho. Para realizar o sonho de fazer o mundo um lugar melhor, tornou-se empreendedora. Reúne e mobiliza um grupo de profissionais que assim como ela querem compartilhar suas experiências de vida impactando pessoas de maneira positiva. Mariângela Costa Schneider (34) é pedagoga e lifechoaching, tem paixão pelo ambiente educacional e demonstra que é possível escrever uma nova história de vida sem medo do recomeço.

Família

Natural de Venâncio Aires, auxiliou os pais na agricultura, quando criança. Superou as dificuldades enfrentadas no tratamento da depressão e hoje busca ajudar outras pessoas a vencerem suas dores e traumas. "Quando me recuperava de momentos difíceis, pensava que um dia faria coisas muito boas para o mundo e para as crianças". Mariângela mora há 13 anos em Lajeado, realiza-se como mãe e conquistou o sonho de ter uma família, é mãe do João Vitor (10) da Manuela (6). "Vivemos um para o outro, somos unidos. Incentivo meus filhos a sonharem e trabalharem para realizar, todos temos um caminho e temos que trilhá-los". Fala do marido, Eduardo Kreutz Schneider, como um grande incentivador de suas conquistas. "Ele acreditou em mim muito antes de eu acreditar". Engajada nas causas em que aposta, Mariângela está ingressando como chefe escoteira, participa com a família das atividades e estimula a prática de atividades em contato com a natureza. "Jovens precisam de atividades que os afastem das drogas e do álcool e proporcione prazer".

Atitude de uma sonhadora

Ela decidiu que seria professora ainda na infância. Aos 14 anos tomou uma atitude decisiva, começou a trabalhar em uma creche para pagar os estudos, ingressou no magistério e construiu uma carreira na educação. "Sempre fui professora de escola pública e tive mais certeza a cada dia que precisamos fazer algo de bom. Qualquer trabalho que venhamos a desempenhar devemos deixar uma marca". Foram 20 anos dedicados ao ensino na rede pública, trabalhando com alunos das Séries Iniciais. Ela também atuou como supervisora e como coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação de Lajeado, no setor de Educação Infantil. "Eu sempre pensava que um dia faria algo muito bom pelo mundo, e a primeira atitude boa que eu pude fazer foi me tornar professora". Mariângela deixou o dia a dia em sala de aula, mas não abandonou o carinho pelo ambiente escolar, que mantém desde a infância, quando acompanhava a mãe no trabalho. "Ficava pela escola, sempre gostei, me sinto bem nesse espaço". Maria Helena Franco(56) continua a inspirar a filha com cerca de 40 anos de dedicação ao ensino. "Minha mãe é uma pessoa forte, ela me dizia que eu deveria estudar e poderia me tornar o que eu quisesse, pois um dia minha vida melhoraria".

Dedicação

Desafiou-se ao participar dos primeiros cursos de coaching e hoje segue especializando-se e agregando saberes. "Sempre busquei os livros porque queria me entender e encontrar respostas". Já ministrou cerca de 60 palestras com foco motivacional e na formação de professores e gestores da educação. Identifica-se com a realidade vivenciada em sala de aula e reconhece a importância do profissional da educação na vida das crianças e adolescentes e a beleza da escola. "Os professores querem ouvir pessoas que saibam pelo que estão passando e que se importe realmente com essa causa". Realizou o mestrado em ensino, a partir da temática protagonismo infantil e atualmente cursa o doutorado pesquisando pedagogia empreendedora. Mariângela por muito tempo conciliou estudos e trabalho. Dedicar-se com exclusividade aos estudos como bolsista foi uma vitória para ela. "Podemos ser empreendedores em qualquer área, existem muitos empreendedores que ainda não possuem sua própria empresa, mas é alguém que cria e faz as coisas acontecerem". Tem no psicanalista, educador, teólogo e escritor Rubem Alves uma referência. "As pessoas têm suas incompletudes, e vamos atrás disso para evoluir, nos movemos mais pelo que nos falta do que pelo temos".  

Empreendedora

Mariângela reuniu empreendedores de diversas áreas, em um negócio de impacto social, e criou a Protagonize Consultoria Pedagógica e Empresarial. "Um profissional necessita de mais do que o conhecimento técnico, é preciso ter empatia e levar esse conhecimento de maneira humanizada". Por meio de palestras e workshops, o projeto oportuniza aos profissionais vinculados compartilhar suas aprendizagens." São pessoas que estarão curando a sua dor e a de outras pessoas". Todo o empenho na concretização do projeto está relacionado às suas vivências e missão de motivar as pessoas a superar suas dores e traumas. No site da empresa oportunizará que escolas e empresas divulguem, gratuitamente, projetos e ações inspiradoras.  Mariângela apresenta à comunidade a Protagonize, no dia 6 de maio, com uma noite cultural. Com a venda de ingressos, pretende destinar uma parte  para entidades sociais de Lajeado.

Conectar pessoas

Algumas pessoas se assustaram com a grandiosidade do projeto e do sonho de Mariângela, contudo ela acredita no potencial da unidade. "O sol nasceu pra todos, cada pessoa tem seu brilho, não nascemos para sofrer e sim para ser feliz, precisamos nos conectar". Para ela, o mundo está desconectado com seu propósito, se deixando levar pela busca do "ter" e não "ser", impulsionado pela competitividade. "Isso tem origem nas mágoas que as pessoas carregam. Eu acredito que temos de almejar e analisar qual a nossa vocação". Ela acredita estar vivendo em um momento de transformar a dor em amor. É agradecida pelas vivências e por estar descobrindo o sentido da vida. "Quem não sofre não se torna humano, é o sofrimento que nos torna mais humanos e cuidadosos com os outros".

Comments

SEE ALSO ...