Colunistas

Ontem, hoje e amanhã

Amigo leitor, quando o tempo passa, ficamos muito mais seletivos em nossas escolhas, com nossas vontades


Saindo para caminhar dia desses, comecei a fazer uma retrospectiva da minha vida. Quanta energia e sonhos quando se é adolescente! Quanta fantasia em relação ao amor! Ele nos remetia à liberdade; pensávamos que seria fácil cumprir com as obrigações que estariam por vir... Mas nem sempre a fantasia se torna realidade e, com o decorrer dos anos, tudo vai ficando mais pesado. Nós saímos da casa dos pais, onde tínhamos a roupa lavada e passada, comida na mesa e não precisávamos nos preocupar com nenhuma das despesas para manter nossa morada. Porém, de repente, tivemos que assumir tudo isto, mais a educação dos nossos filhos. Era maravilhoso brincarmos de casinha quando crianças!

Amigo leitor, quando o tempo passa, ficamos muito mais seletivos em nossas escolhas, com nossas vontades. No entanto, nem sempre nosso corpo ajuda. Ele, com suas "ites" e "oses", exige de nós mais esforço e precisamos ser fortes em todos os sentidos, pois o que temos pela frente é uma incógnita. Sempre ouvimos as pessoas dizerem que o presente é uma dádiva e que devemos vivê-lo intensamente. Tudo bem, é o que faço quando dá, pois às vezes precisamos é colocar as pernas para cima e dar uma relaxada. 

Nessa caminhada, o futuro aflorou em minha mente. Moro onde tenho que descer e subir morros e não é fácil quando se vem com algumas sacolas! Não sei dirigir, nunca tentei aprender.  Então, eu me perguntei, cantando mentalmente: "Como será o amanhã?" Sei que o amanhã a Deus pertence. Não queria fazer estas divagações, mas a nossa realidade nos transporta a isto. Daí vêm as questões sentimentais, financeiras e principalmente de saúde... 

Caro leitor, perdão por ter usado tanto a primeira pessoa do singular. Quantos leitores já passaram por estes questionamentos? Quantos já se arrependeram das escolhas do passado? Dizemos muitas vezes: "Ah, se eu soubesse disso lá trás, como eu faria diferente!" Pois é, a vida está aí. Vamos pôr na balança os nossos "sim" e "não" dados como garantia na educação dos filhos, em momentos de decisões sérias e muito importantes que tivemos de tomar e,  principalmente, arcar com as consequências se tudo não saiu conforme pensávamos. Viver é complicado! Diariamente realizamos debates fervorosos com nossos sentimentos, com nossas lembranças, com nossos gastos, com tudo aquilo que gira em torno da nossa existência. Mas o melhor de tudo é que temos a certeza de que tem alguém olhando por todos nós - Deus. E que, graças a nossa fé, quase sempre superamos os obstáculos. Por isso cantemos como Zeca Pagodinho: "Deixa a vida me levar..."
 
Paz e bem.
Homenageio com carinho as amigas Clari Togni, que ontem aniversariou, e Evenize da Costa Pires, diretora e ex-colega do Castelinho, aniversariante do dia 24. Parabéns e muitas felicidades. Abração, gurias!

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...