Colunistas

Vida/momentos

NARA T. KNAACK escritora e professora


A vida da gente parece uma colcha de retalhos, toda ela fragmentada em momentos. Às vezes, não nos damos conta disso. No entanto, ao recordarmos fatos, lá vai a memória buscar pequenos trechos da nossa vida. Nem sempre são agradáveis. Mesmo assim, é bom ativar as lembranças, pois podemos avaliar um pouco nossos registros e a intensidade de cada um.

Amigo leitor, recordar sempre é bom e nos remete à presença de pessoas especiais, queridas o bastante para que não as percamos nos labirintos da memória. Esta também nos trai de vez em quando. Em alguns momentos queremos, de imediato, lembrar de um nome, de uma data ou apenas de coisas banais do cotidiano e a danada nos trai. Passamos o alfabeto, fazemos junção de letras, como me ensinou o primo Roque Lopes, e nada! Depois, quando o assunto não mais está em voga, aquela palavrinha aparece assim, do nada, só para atrapalhar o assunto então abordado.

Sabemos que isto acontece com todos seres, apenas em épocas diferentes, conforme a idade vai avançado. Em determinadas ocasiões, pensamos tanto, mas tanto, que parece que nosso cérebro vai entrar em curto-circuito! Mas não desistimos, relaxamos, damos um tempo e depois retomamos a busca, nem que seja necessário procurar o salvador das nossas encrencas, o "senhor Google"! Somente em 2007 fui apresentada a este gênio. Veja só, hoje nossos netos já nascem nesta era revolucionária e são raras as pessoas que não possuem acesso a este senhor fantástico, que nos auxilia na hora da dúvida.

Sou "viciadinha", como diz um dos netos menores, em palavras cruzadas. Gosto muito, mas não posso deixar nada em branco! Não olho as repostas, quando tem, e "furungo" por tudo no Google até completar. Não adianta, não consigo, preciso encontrar as respostas! E, quando não havia computador, ia direto procurar no dicionário de Português e no de Português/ Inglês.

Caro leitor, existem coisas na vida da gente que realmente parecem um vício. Mas, graças a Deus, que, no meu caso, são para o bem. Elas contribuem para o meu crescimento próprio e são um belo exercício para a memória. Por isto, sempre peço a Deus que abençoe a todos nós, nos fortaleça e nos dê a lucidez necessária para vivermos uma vida sadia e plena, tendo o tempo fundamental, essencial para podermos recordar dos momentos da vida com muita dignidade.

Paz e bem
Homenageio, hoje, as primas Léa Verenzuck e Ziara Wermann, aniversariantes de amanhã. Abraço também a querida amiga Anne Drebes e o ex-colega Jatir Zanatta, que aniversariam dia 4. Uma saudação ao leitor Hélio Schauren.


Nara Knaack

Comments

SEE ALSO ...