Nara Knaack

Somos responsáveis

Artigo de Nara T. Knaack

Créditos: Nara Knaack

Saint-Exupéry, no livro O Pequeno Príncipe, diz: "Tu és responsável por aquilo que cativas." Somos responsáveis por nossas escolhas, pela educação de nossos filhos, por nossas atitudes, pelos nossos gastos... Mas será que temos alguma parcela de culpa nas atrocidades humanas?

Amigo leitor, vimos e ouvimos, nos últimos dias, manchetes muito tristes sobre massacres a seres humanos. Dizem que tudo é culpa de famílias desajustadas, do excesso com a internet, da falta de diálogo. Concordo, mas acho mesmo que, assim como gentileza gera gentileza, amor gera amor.  Quem conhece o amor não comete atos cruéis, não é assassino, não maltrata, não comete atos ilícitos. Ele, com certeza, protege, ajuda, é justo, confia e inspira confiança, jamais engana. Mas estamos vendo por aí gente que recebeu amor, carinho e sempre foi acolhido tendo a capacidade de enganar, extorquir, mentir... E isto é o início de muitas histórias tristes pelas quais tanto estão se perdendo.

Temos conhecimento de histórias onde a simplicidade e os poucos recursos da família levaram e ainda levam alguns jovens aos deslizes ou à morte. É a história do dinheiro fácil. Nada vem de graça. Temos que lutar, ir em busca de uma vida melhor. Precisamos também de uma educação mais comprometida, de gestores mais responsáveis, bem como mais sabedoria, senso de justiça em nossos governantes. Que todos saibam ser inteligentes o suficiente para não colocar em risco aqueles que deles dependem.

Somos responsáveis, sim, pelos espaços que ocupamos e por tudo o que e de quem neles dispomos. Somos responsáveis por nosso comprometimento com as amizades que conquistamos; somos responsáveis por tudo o que fazemos e dizemos, mesmo que às vezes não sejamos compreendidos. Às vezes, podem até nos considerar "fingidos", mesmo sendo completamente inocentes. Mas até que conseguimos provar o contrário, ficamos vulneráveis e sujeitos aos maus comentários. Pois é, somos responsáveis até pelos pensamentos negativos dos outros a nosso respeito!

Caro leitor, temos uma missão enorme como seres humanos, filhos de Deus. Temos que assumir a missão de semear mais esperança, fé, confiança. Temos que realmente usar o bom senso em nossos questionamentos, escolhas e palavras. Temos que, sem dúvida, ser inteiramente humanos para não mais disseminar o ódio, a dor, a revolta, o desamor, que resultam no desvio de conduta. Temos que fazer o possível para desestimular os aproveitadores, que, com lábia, conseguem iludir os mais fracos pela má-fé. Meus Deus, o que poderemos fazer para controlar a droga, pois estão matando pelo simples fato de matar? O ódio habita o coração e a alma, a internet ajuda a aguçar esses sentimentos odiosos. Ah! Acredito que todo aquele ser de boa índole hoje sofre por todos esses desmandos que, dia a dia, estamos vendo e que são repetidos em todas as redes de televisão.  Claro que devemos ter conhecimento de todos os acontecimentos, mas a culpa não é só da sociedade atual. Viemos de muitos e muitos anos com leis sendo ajustadas e nunca se chega a um denominador que atinja realmente o bem comum. 

Relendo o que foi escrito aqui, lembrei da história da menina pobre que recebeu de presente um vestido colorido. Depois disto, o pai achou que ela era linda, pintou a casa, arrumou o jardim... Então o vizinho não quis ficar para trás e também arrumou a sua casa e assim cada morador foi melhorando e enfeitando sua moradia. Tempos depois, toda aquela rua estava linda e florida só por causa de um vestido colorido. Então, sejamos responsáveis pelo colorido de nossas almas e corações, para que não nos falte o estímulo de uma vida melhor, com responsabilidade.

Paz e bem sempre

Homenageio a minha amiga Zilda B. Delwing, que aniversaria amanhã. Felicidades!! Abraço carinhosamente as leitoras Gema Ferreira, Nica Kraemer e Therezinha Lermen.PS: Este texto foi escrito antes dos episódios envolvendo adolescentes na nossa região. 


Comments

SEE ALSO ...