Polícia

Alsepro debate demandas da segurança pública de Lajeado

Instalação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas será solicitada à Polícia Civil

Créditos: Caroline Garske
PREFEITURA: secretário de Segurança Pública de Lajeado, Paulo Locatelli falou sobre atividades da realizadas no combate à violência - Caroline Garske

Lajeado - Representantes da Prefeitura de Lajeado, Ministério Público, Brigada Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e outras instituições estiveram presentes na reunião da Associação Lajeadense Pró-Segurança Pública (Alsepro) realizada na manhã de ontem. Na ocasião, os resultados do exercício da associação em 2018 foram apresentados, além de serem tratados diversos assuntos referentes à segurança do município e da região.


Segundo o vice-presidente, Dani José Petry, a Alsepro encerrou o ano com um déficit de R$ 8 mil. No entanto, segue realizando seu trabalho em prol da sociedade lajeadense. "A Alsepro não está aqui só para mostrar resultados positivos. O mais importante foram as atividades e a participação que a gente tem na comunidade", destaca Petry.


O titular da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) de Lajeado, Paulo Locatelli, esteve presente na reunião e aproveitou o momento para falar sobre as diversas atividades da prefeitura realizadas no combate à violência. Entre as pautas, Locatelli destacou a visita que será realizada no próximo dia 28 ao vice-governador do Rio Grande do Sul. "Vamos, com representantes da comunidade, pedir apoio à Polícia Civil, referente ao aumento de efetivo e à instalação da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco). Que venha efetivo, tanto para a delegacia da cidade, quanto para a regional", afirma.


O titular da 19ª Delegacia Regional de Polícia (19ª DRP), José Romaci Reis, reiterou a fala do secretário. "Estamos com o projeto de instalação da Draco. Aqui em Lajeado está crescendo muito os crimes de roubo e tráfico de drogas. O tráfico é o que fomenta os demais crimes, então tem que ter um combate mais especializado", afirma Reis. Segundo o delegado, já há um prédio em vista para a instalação da delegacia. "Já falamos com a prefeitura e eles estão tentando a locação de um prédio que demanda de algumas reformas e isso envolve custos. Estamos fazendo o levantamento desses custos e encaminhando para os órgãos que podem nos ajudar."


Paulo Locatelli falou também sobre a importância da associação para a concretização do Pacto Pela Paz, projeto que visa melhorar a segurança pública do município. "A Alsepro é a chave, é a cereja do bolo do Pacto da Paz."


CICCR e Ciop

Ainda neste ano, Lajeado poderá contar com uma sede do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), que será instalado junto ao prédio do 22º Batalhão de Polícia Militar, localizado no Centro de Lajeado. Conforme explanação feita durante a reunião da Alsepro, o secretário de Segurança Pública (Sesp) de Lajeado, Paulo Locatelli, afirmou que o prazo para conclusão das obras é de em média oito meses.


A ideia é trabalhar o videomonitoramento em todo o Vale do Taquari. "Isso vai dar oportunidade para que várias cidades possam espelhar o que está acontecendo lá aqui em Lajeado, e concomitante, Lajeado consegue espelhar na Secretaria de Segurança Pública (SSP). Isso melhora e qualifica os processos na Polícia Civil e ajuda o Ministério Público." Locatelli ainda informou que, na próxima semana, será dobrado o número de câmeras de segurança instaladas em Lajeado. Os novos equipamentos também terão leitores de placas de veículos.


O comandante do Comando Regional do Vale do Taquari (CRPO-VT), tenente-coronel Luis Marcelo Gonçalves Maya, explicou a diferença do CICCR para o Centro Integrado de Operações (Ciop). Ambos funcionarão no mesmo prédio. "O Ciop é um projeto da Brigada Militar. Nós vamos centralizar em Lajeado o despacho de todas as ocorrências no Vale do Taquari. Discou 190 em qualquer cidade do Vale, será atendido aqui em Lajeado." Ainda conforme o comandante, o CICCR é um projeto regional e não só da BM. "Nós vamos abrigar ali, além do videomonitoramento, um centro de controle regional. As informações geradas pelas imagens vão poder orientar a investigação da Polícia Civil e vão ficar à disposição da Polícia Rodoviária Federal", detalha.


Educação

Outra demanda levantada pelo secretário de segurança, Paulo Locatelli, foi a de um Colégio Tiradentes e de uma escola cívico-militar em Lajeado. Conforme Locatelli, o comandante-geral da Brigada Militar, Mário Yukio Ikeda, autorizou o andamento de uma sede do Tiradentes no município. "O segundo passo é nos dirigir à Educação. Vai ser agendada uma reunião para, se o local visado aceitar, o município entrar com o aluguel. Definido o terreno, começamos a transformar em uma realidade", afirmou o secretário.


A ideia de uma escola cívico-militar também foi citada. "Em outros estados essa é uma realidade de muito sucesso. Estamos escolhendo uma escola na cidade com grande vulnerabilidade. É um projeto que utilizaria policiais da reserva para compor um banco de monitores que atuam do portão de entrada da escola até a porta da sala de aula. Eles irão auxiliar o corpo de professores com questões de disciplina, ordem, de ética e moral", concluiu Locatelli.

 

Comments

SEE ALSO ...