Polícia

Crimes em Lajeado aumentam no primeiro bimestre deste ano

Ocorrências de furtos, furtos de veículos e roubos tiveram acréscimo e apenas os homicídios diminuíram

Créditos: Natalia Nissen
- Lidiane Mallmann/arquivo O Informativo do Vale

Vale do Taquari - A Secretaria de Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP/RS) divulgou, ontem, o levantamento de ocorrências criminais registradas no Estado em janeiro e fevereiro deste ano. De acordo com o órgão, os 16 indicadores divulgados apresentaram redução em números absolutos, em comparação ao primeiro bimestre do ano passado. Na contramão das estatísticas estaduais está o Vale do Taquari, com municípios que tiveram aumento nos crimes, principalmente Lajeado. A cidade-polo do Vale teve queda apenas no número de homicídios, enquanto roubos, roubos de veículo, furtos, furtos de veículo e tráfico de entorpecentes aumentaram.

Para o titular da Delegacia de Polícia (DP) de Lajeado, Juliano Stobbe, o aumento de determinados casos tem relação com a crise no sistema carcerário e algumas ocorrências são cíclicas. Com autores egressos do sistema prisional ou responsáveis por uma série de crimes enquanto soltos, os índices aumentam. Quando os suspeitos são capturados e ficam presos por algum tempo, a tendência é de que aquele tipo de fato tenha queda.

O primeiro bimestre deste ano teve o dobro de assassinatos no Vale em relação a 2017. Foram 20 homicídios, além de três mortes durante um confronto com a Brigada Militar (BM) em Encantado. No ano passado os crimes estavam concentrados em Lajeado, porém nos últimos dois meses ocorreram em Lajeado, Estrela, Nova Bréscia, Teutônia, Boqueirão do Leão, Santa Clara do Sul, Roca Sales, Encantado, Arroio do Meio e Muçum. Conforme o delegado, a redução em Lajeado é uma consequência da disputa pelo domínio do tráfico de entorpecentes em outras cidades da região. Os criminosos tentam estabelecer seus negócios em outras localidades, demonstrando poder por meio das mortes e enfrentamentos, e os homicídios acabaram diminuindo em Lajeado. Entre os assassinatos na região, pelo menos três envolvem violência doméstica, duas mortes ocorreram em contexto familiar e foram seguidas de suicídio, e outros quatro aconteceram em virtude de desentendimentos diversos.

Indicadores

Vinte e duas cidades da região mantiveram os índices de furtos de veículos do mesmo período do ano passado e 20 permaneceram estáveis nos casos de roubos. Já os registros de furtos aumentaram em 11 municípios. Os ataques a banco também seguiram a variável oposta em relação ao Estado. Enquanto o primeiro bimestre de 2017 registrou dois assaltos ou furtos, neste ano foram três.

Estado

Em coletiva de imprensa, o titular da SSP, Cezar Schirmer, afirmou que a queda nos índices reflete o esforço do governo em fornecer efetivos recursos humanos e materiais necessários ao desempenho das funções dos órgãos de segurança pública. Segundo o balanço, os homicídios reduziram 34,5% no Rio Grande do Sul. Em Porto Alegre a queda chega a 38,8%. Os casos de roubo a banco diminuíram 42,9% e furtos de veículos apresentaram queda de 16,2% em âmbito estadual. Para o secretário, ações estratégicas resultaram na redução da criminalidade, como operações específicas da Brigada Militar, transferência dos líderes do crime organizado para presídios federais e estruturação das Delegacias de Repressão ao Crime de Lavagem de Dinheiro. "Foi um processo bem sucedido, que visou asfixiar o poder financeiro das quadrilhas e desarticular a sua cadeia de comando", pontuou Schirmer.

Saiba mais

Conforme a SSP, os indicadores representam os crimes de maior potencial ofensivo contra a vida e contra o patrimônio. Os dados fazem parte de um corte temporal, de acordo com os fatos registrados na data de extração da base de dados e estão sujeitos a alterações após revisões das ocorrências, apuração de informações, perícias ou correção do fato ao final da investigação policial. Recentemente, a SSP firmou convênios com a Universidade Autônoma de Lisboa, Uniritter, Faculdade de Direito de Santa Maria (Fadisma) e Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento (Imed), para produção de conhecimento científico e elaboração de políticas públicas mais alinhadas com a realidade gaúcha. Com a inclusão de mais servidores no quadro do Observatório Estadual da Segurança Pública (Oesp), a divulgação dos índices passou a ser bimestral. Anteriormente era feita a cada seis meses.

FURTOS
Bom Retiro do Sul
2018: 16
2017: 29

Encantado
2018: 33
2017: 55

Lajeado
2018: 190
2017: 177

Progresso
2018: 15
2017: 10

Anta Gorda
2018: 8
2017: 3

Taquari
2018: 43
2017: 34

ROUBOS
Bom Retiro do Sul
2018: 8
2017: 2

Cruzeiro do Sul
2018: 7
2017: 0

Lajeado
2018: 54
2017: 53

FURTOS DE VEÍCULOS
Arroio do Meio
2018: 5
2017: 2

Estrela
2018: 11
2017: 9

Lajeado
2018: 48
2017: 38

 

Comentários

VEJA TAMBÉM...