Polícia

Enquanto traficante dorme, polícia apreende drogas

Com britadeira, picaretas e pá, investigadores retiram cem pedras de crack e cocaína de tubos. Homem dormia no sofá


Lajeado - Dez homens da Polícia Civil de Lajeado prenderam quatro pessoas por tráfico de drogas no Centro de Lajeado, na área conhecida como Cantão do Sapo. A casa na Rua Barão de Santo Ângelo tinha movimento considerável de usuários que iam buscar drogas e estava sendo investigada pela Polícia Civil de Lajeado havia três meses. A ação começou ontem, às 7h. Policiais entraram com mandado de busca e apreensão na casa simples, mas que tinha câmeras de monitoramento para controlar quando policiais entrassem no recinto.
Um homem de 38 anos - que a polícia identificou como "funcionário" de traficante - ainda teve tempo de jogar a droga, crack e cocaína, pelo cano. Mas depois pegou no sono no sofá da sala e se manteve alheio a toda a ação dos policiais. Os agentes tiveram de usar picaretas, pás e britadeira para retirar a droga da tubulação. Até as 10h, os investigadores retiraram cem pedras.
Usuários que estavam no local acompanharam a ação da polícia. Alguns reclamavam estar com fome. Os agentes deram lanche que estava na casa (pão e mortadela). Todos são usuários de drogas. O delegado disse que os dependentes participam da venda de drogas, pois guardaram objetos.
Farck
A casa que é usada como ponto de tráfico fica ao lado de uma associação de recicladores de lixo. É a segunda vez que a polícia entra na habitação. E percebeu que os moradores cimentaram o piso para dificultar a ação dos policiais na busca por drogas.
Em uma das paredes da casa estava a inscrição "Farck", algo que lembra Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que controlam a maior parte do refino e distribuição de cocaína da Colômbia, sendo responsável por boa parte do suprimento mundial de cocaína e pelo tráfico dessa droga para os Estados Unidos. O delegado Silvio Kist Huppes disse que vai continuar a caça aos traficantes. "É um absurdo que tenhamos esse tipo de situação no Centro de Lajeado."

"Daqui a 20 anos, eu serei filhote"
Com 29 anos, L. é usuária há sete meses. Ela observava a movimentação dos policias e reclamava que queria comida. Mora na casa ao lado do ponto e dizia não ter relação com o tráfico, mas reconheceu frequentar o local. Mãe de dois filhos, concedeu a entrevista enquanto a polícia agia na casa.

O Informativo: Você é mãe, onde estão seus filhos?
L. Eu sou mãe só para parir. Quem cuida é o pai.

O Informativo: Você quer se livrar do crack?
L: Não, eu tô legal. Se eu tô fumando é porque eu quero. Se tu escolhe uma coisa, é porque gosta.

O Informativo: Você ainda não entrou no fundo de poço?
L: Eu já abri a portinha e estou no porão do poço

O Informativo: As pessoas que estão aqui contigo são...
L: Todas drogadas. A gente ontem abriu para fazer uma festinha.

O Informativo: A ação da polícia vai acabar com o tráfico?
L: Tráfico nunca acaba guria, prende um, vem dez. Sempre terá os filhotes. Daqui a uns 20 anos, eu serei o filhote.

Andréia Rabaiolli
[email protected]

Comments

SEE ALSO ...