Polícia

Pelo menos seis lojas são danificadas por tiros

Disparos teriam partido de ocupantes de um carro branco na madrugada de sábado

Créditos: Matheus Aguilar
CRIMES: tiros danificaram ao menos seis lojas - Matheus Aguilar

Lajeado - Diversos estabelecimentos comerciais foram alvos de tiros no final de semana. Pelo menos seis registros foram feitos na DPPA, a maioria informando o vandalismo entre o final da noite de sexta-feira (9) e a madrugada de sábado (10). Câmeras de vigilância de alguns estabelecimentos registraram o momento dos disparos, que partiram dos ocupantes de um veículo branco ainda não identificado.

Claudir Degasperi é proprietário de um dos estabelecimentos atingidos. Ele soube do dano na manhã de sábado, quando foi abrir a fruteira que fica na Avenida Alberto Pasqualini, Bairro São Cristóvão. Pelas imagens da câmera de monitoramento que tem na frente da loja, descobriu que o tiro foi dado à 0h56min de sábado. "O vídeo mostra um carro branco passando bem devagar e uma luz de uma das janelas. Por uma câmera interna se percebeu que no mesmo instante o vidro foi impactado e ficou fragmentado", revela o empresário.

Ele afirma que nunca sofreu nenhum tipo de ameaça anterior que pudesse representar uma intimidação por parte de facções criminosas. "Já fui vítima de assalto, mas não sofri nenhuma ameaça. Estou há 32 anos no bairro e nunca tinha passado por isso", descreve Claudir. Ele acredita que os tiros foram apenas para depredar o patrimônio dos lojistas. "Parece que eles aproveitaram o momento do temporal para atirar e não chamar a atenção. E não foi uma ação isolada só aqui. Parece que teve 10 lojas alvejadas", comenta.

Outro alvo foi o lojista Kiko Sulzbach. Com seu comércio na Avenida Benjamin Constant, no Bairro Florestal, foi avisado por uma empresária vizinha no sábado pela manhã. "Estava na praia e sábado pela manhã ela me avisou que a porta estava danificada. Depois alguém acabou encostando e quebrou. Tive que colocar um tapume no lugar", explica.Ele afirma que ficou assustado quando soube do caso. "Pensei que tivesse sido o único, mas soube de mais casos", relata.

Além dos comerciantes entrevistados, há registros de danos por tiros na mesma madrugada em uma farmácia da Rua Sabiá, no Bairro Universitário, em uma loja de materiais de construção da Rua Amazonas, Bairro São Cristóvão, que teve quatro vitrines atingidas, além de uma loja que está prestes a inaugurar na Avenida Alberto Pasqualini, Bairro Universitário. Nesta, seis vidros da fachada foram danificados. Somente em uma loja da Rua Bento Gonçalves, no Centro, o alarme disparou após o fato. Uma equipe da empresa de vigilância foi até o local e percebeu o furo no vidro.

Para a delegada Márcia Scherer, a sequência de atos aparenta ser vandalismo sem maiores consequências para os comerciantes vitimados. "Seria muito mais preocupante se eles tivessem sido ameaçados antes, o que poderia representar ação de facções criminosas", diz. "Serão feitas investigações para tentar descobrir a placa do veículo e identificar o autor, ou atores, dos tiros. Vale lembrar que disparar em via pública é um crime muito grave, com consequências para os autores ainda maiores que uma tentativa de homicídio, por exemplo", destaca.

Comentários

VEJA TAMBÉM...