Polícia

Trio simula assalto para matar o taxista de Arroio do Meio

Vítima trabalhava com táxi há 15 anos e deixa três filhas

Créditos: Redação
- Brigada Militar

Arroio do Meio - Um homem de 53 anos morreu depois de ser atingido por disparo de arma de fogo. O crime ocorreu por volta das 23h15min desta sexta-feira (23), no Bairro Medianeira. Moradores ouviram tiros e pediram ajuda. No local, a Brigada Militar encontrou dentro de um táxi, uma caminhonete Spin, o corpo de Vilmar Antônio de Campos, conhecido como "Mano".

Ele já estava morto, atingido no rosto por dois disparos de espingarda calibre 12. Em buscas pelas proximidades, pela VRS-811, a BM localizou um suspeito, menor de idade, com aspecto nervoso e roupas sujas de barro e sangue acompanhado de outros dois homens.

O trio foi encaminhado à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Lajeado. Nenhuma arma foi encontrada e o corpo foi encaminhado para o DML de Lajeado. O adolescente, de 17 anos, foi encaminhado a Fundação de Atendimento Sócio-Educativo (Fase), depois de explicar em depoimento o crime. Após ouvir o mnenor, o delegado prendeu um dos adultos, de 19 anos, cuja autoria do crime teria sido denunciada pelo menor. O outro suspeito encontra-se forgaido. 

 

Vingança

Segundo o delegado que atendeu o caso, Dinarte Marshall Junior, o adolescente foi convidado por dois maiores de idade para assaltar um taxista - um deles, que tem por volta de 20 anos, e ainda não foi identificado. O menor e o assaltante não identificado pediram uma corrida para atrair a vítima. Próximo ao local combinado, o suspeito maior de idade ameaçou Mano com uma faca e os dois entraram em luta corporal.

 

O taxista perdeu o controle do carro e bateu em um moerão. O outro envolvido, de 19 anos, que foi preso, já os esperava no local e efetuou os dois disparos de espingarda no rosto de Mano. "A intenção deste nunca foi assaltar o taxista. Ele queria matá-lo. Eles tinham uma dívida antiga envolvendo um acidente de carro. O taxista cobrou suntuosamente e ele não gostou. A ideia era matar o taxista desde o início. A prova disso é que foi armado e também levou uma garrafa de gasolina para colocar fogo no carro depois", conta o delegado.

O suspeito de matar o taxista foi detido e recolhido ao Presídio Estadual de Lajeado. O outro homem continua sem identificação. A arma não foi encontrada.

 

Tristeza

Familiares do Mano esperavam o desfecho do crime na DPPA. Muito abalado, um de seus cinco irmãos, Delmar de Campos (50), conta que recebeu a notícia por volta das 3h da madrugada deste sábado (24). "Ele estava trabalhando. Pela hora, acho que era para ser a última corrida programada da noite. Ele tinha táxi há mais de 15 anos, querido por todo mundo. Não dá para entender", lamenta.

Campos lembra que Mano era muito conhecido em Arroio do Meio por causa do táxi e de uma lancheria que possui. "Trabalhava dia e noite. Tinha uma ligação para corrida e ele ia. Às vezes pegava corrida para os colegas, para ajudar."

Ele e outra irmã de Mano, Edília de Campos (49), afirmam que não sabiam de nenhum tipo de ameaça contra ele. Campos conta que o crime aconteceu a menos de um quilômetro da residência da vítima. "O aniversário dele era mês que vem. Tem que mudar essa justiça, não tem mais jeito." Mano deixa uma esposa de 48 anos e três filhas de 26, 14 e 13 anos. Ele será velado no salão da comunidade de Rui Barbosa, em Arroio do Meio, a partir do meio dia. O sepultamento ainda não tem horário definido.

Comentários

VEJA TAMBÉM...