Política

"A verdade venceu", diz Temer em vídeo ao agradecer deputados

Plenário da Câmara rejeitou a segunda denúncia apresentada contra o presidente pela Procuradoria-Geral da República (PGR)


- divulgação

Brasília - Um dia após o plenário da Câmara ter rejeitado a segunda denúncia apresentada contra o presidente Michel Temer pela Procuradoria-Geral da República (PGR), o presidente Michel Temer publicou nas redes sociais um vídeo afirmando que o Brasil teve suas "instituições testadas de forma dramática nos últimos meses" e que "no fim, a verdade venceu".

No vídeo divulgado na tarde desta quinta-feira (26), Temer agradeceu aos parlamentares que reafirmaram o compromisso com o governo na votação de ontem (25) e disse que agora é hora de ter foco no que interessa ao povo brasileiro. Para o presidente, "a normalidade do país nunca foi afetada e agora prossegue ainda mais forte".

Segundo ele, uma ponte para o futuro "sólida, firme e resistente" está em construção. Ele segue dizendo que essa ponte começou a ser construída em 2015 e que hoje é realidade na vida dos brasileiros com resultados visíveis. Ao citar os resultados, Temer falou da retomada do crescimento da economia após um período de recessão e a queda da inflação e dos juros.

"A economia voltou a crescer depois da maior recessão da nossa história. Essa é a maior obra de meu governo. Com a melhora da economia, estamos reencontrando os empregos, os investimentos estão voltando, o consumo das famílias está crescendo", disse.

Para Temer, serão gerados mais empregos nos próximos meses, com a aprovação da reforma trabalhista e, assim, "o crescimento (do país) é certo e seguro". O presidente finaliza o vídeo dizendo que, com a ajuda do Congresso Nacional e de todos os brasileiros, será possível fazer ainda mais.

Votação
Na votação de quarta-feira (25) na Câmara, o plenário rejeitou por 251 a 233 votos o pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) para investigar o presidente, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o ministro da Secretaria-geral da Presidência, Moreira Franco. Com o resultado, o processo fica suspenso enquanto Temer estiver no exercício do mandato de presidente da República, ou seja, até 31 de dezembro de 2018.

Comentários

VEJA TAMBÉM...