Política

Auditadas urnas do segundo turno

Justiça Eleitoral garante confiabilidade do equipamento para eleições

Créditos: Julian Kober
Testes garantem segurança e confiabilidade no sistema - Julian Kober

Vale do Taquari - Para garantir a segurança no pleito, a Justiça Eleitoral da 21ª e da 29ª Zona Eleitoral fez auditorias de urnas para o segundo turno, na quarta-feira (24). Quatro foram testadas para a verificação do reconhecimento das assinaturas digitais e do log de cada equipamento. Houve impressão do resumo da urna e simulação do voto, para visualização de dados e fotos dos dois candidatos aos palácios do Planalto e Piratini. Foram 30 tentativas de voto em cada equipamento. Após o teste, os votos foram apagados e a urna reinicializada e fechada para o próximo domingo. O processo ocorre antes do primeiro e do segundo turnos, em até 3% das urnas do cartório.

 

29ª ZE

A Justiça da 29ª Zona Eleitoral - que abrange Lajeado, Canudos, Cruzeiro do Sul, Forquetinha, Marques de Souza, Progresso, Santa Clara do Sul e Sério - realizou a auditoria na última terça-feira. Estiveram presentes o juiz eleitoral, Rodrigo de Azevedo Bortoli; a chefe do Cartório, Maria Betania Rohde; funcionários e o eleitor Daril José Guizo (62). Bortoli escolheu três urnas. Uma de Lajeado, a mesma da auditoria da semana passada; uma substituída em Progresso e uma de Santa Clara do Sul, onde houve maior atraso. "A definição teve como base situações que seriam de não perfeito funcionamento ou que receberam algum tipo de questionamento. Foram feitas todas as testagens e conferida sua perfeita integridade", diz Bortoli.

 

21ª ZE

Na 21ª Zona Eleitoral - atuante em Estrela, Bom Retiro do Sul, Colinas e Fazenda Vilanova - a juíza eleitoral, Caren Letícia Castro Pereira; o promotor eleitoral, André Costa; e funcionários acompanharam a auditoria, conduzida pela chefe do Cartório, Simone Krás Amoretti. A juíza ressalta que os eleitores podem ficar tranquilos quanto à segurança do sistema. "O equipamento não é suscetível à fraude. A maioria dos problemas ocorre por nervosismo e falta de familiaridade com a urna. Tivemos a oportunidade de verificar todos os equívocos que podem ocorrer. Constatamos que, se a eleitor digitar o número errado e apertar confirma, automaticamente vai ser confirmado o voto nulo. Ou, caso ele aperte o branco e em seguida confirmar, vai encerrar a votação."
O promotor André Costa ressalta que o eleitor deve efetuar o voto sem pressa e com calma. E, em caso de problema, registrar na ata.

Comentários

VEJA TAMBÉM...