Política

Bolsonaro e Haddad se enfrentam no segundo turno

Eduardo Leite e José Ivo Sartori seguem na disputa

Créditos: Da redação
Disputa aos palácios do Planalto e Piratini têm segundo turno - divulgação

Brasília - Está confirmado o segundo turno entre os candidatos Jair Bolsonaro (PSL), que ficou 46,05% dos votos válidos e Fernando Haddad (PT), com 29,25% - resultado equivalente a 99% das urnas apuradas. Os dois voltam a se enfrentar no dia 28 de outubro. Na disputa presidencial, em terceiro lugar ficou Ciro Gomes (PDT), com 12,47%, seguido por Geraldo Alckmin (PSDB) - 4,76% -, e João Amoedo (Novo) - 2,50%.

Bolsonaro teve a maioria dos votos válidos em 16 estados e no Distrito Federal. Fernando Haddad (PT) ganhou em nove estados, a maioria no Nordeste. Ciro Gomes teve a maior votação apenas no Ceará. A polarização entre as candidaturas de Bolsonaro e Haddad agravou as dificuldades de candidaturas que se posicionavam ao centro. "O caminho do meio se esvaziou. Essa eleição esvaziou o centro", analisa o cientista político Joviniano Neto, professor da Universidade Federal da Bahia.

A apuração mostrou que Geraldo Alckmin (PSDB) teve menos de 5% dos votos e Marina Silva (Rede), 1%, ficando abaixo de Cabo Daciolo (Patriota). Os dois nomes, que já se candidataram em outras campanhas presidenciais e ocuparam postos de relevância, não conseguiram projeção nesta eleição.

Rio Grande do Sul
O segundo turno das eleições no Rio Grande do Sul terá os candidatos Eduardo Leite (PSDB) e José Ivo Sartori (MDB). Leite teve 35,90% dos votos válidos e Sartori, que busca a reeleição, conquistou 31,11% dos votos. Em terceiro lugar ficou o petista Miguel Rossetto, com 17,76%.

Eduardo Leite foi a novidade desta eleição. O tucano tem apenas 33 anos e foi prefeito de Pelotas entre 2013 e 2016. Uma das surpresas deste pleito, teve o maior tempo de propaganda no rádio e na TV e saiu do quarto lugar para chegar na frente de Sartori por uma pequena margem. Entre suas promessas, está colocar o Estado em ordem trazendo investimentos. 
O candidato ao governo do Estado neste segundo turno é advogado e iniciou a carreira política no movimento estudantil. Em 2004 tentou uma vaga na Câmara municipal de Pelotas, acabou ficando na suplência. Trabalhou no governo de Bernardo de Souza e no de Fetter Júnior. Em 2008 conquistou uma cadeira no Legislativo, em Pelotas. Em 2012, concorreu a prefeito de Pelotas e sagrou-se o mais jovem chefe do Executivo da cidade.

José Ivo Sartori é natural de Farroupilha, na Serra gaúcha. Formado em Filosofia, começou a carreira política em 1976, como vereador em Caxias do Sul. Em 1982 foi eleito deputado estadual pela primeira vez, cargo que ocupou por outros quatro mandatos consecutivos. Em 2002, elegeu-se para a Câmara Federal. Dois anos depois venceu a disputa para a prefeitura de Caxias do Sul e, em 2008, foi reeleito.  Em 2014 disputou o governo do Estado pelo então PMDB. Foi a surpresa da eleição ao sair do terceiro lugar e ir para o segundo turno. Um das bandeiras da sua propaganda para reeleição foi a necessidade de continuidade de uma mesma gestão à frente por mais de um mandato. Vai a segundo turno na segunda colocação.

Deputados federais eleitos
Marcel Van Hattem (NOVO), Onyx Lorenzoni (DEM), Giovani Cherini (PR), Paulo Pimenta (PT), Dionilso Marcon (PT), Marlon Santos (PDT), Lucas Redecker (PSDB), Fernanda Melchionna (PSOL), Heitor Schuch (PSB), Henrique Fontana (PT), Carlos Gomes (PRB), Bohn Gass (PT), Danrlei de Deus Goleiro (PSD), Covatti Filho (PP), Márcio Biolchi (MDB), Alceu Moreira (MDB), Afonso Hamm (PP), Maria do Rosário (PT), Pedro Westphalen (PP), Giovani Feltes (MDB), Bibo Nunes (PSL), Jerônimo Goergen (PP), Sanderson Federal (PSL), Osmar Terra (MDB), Maurício Dziedricki (PTB), Pompeo de Mattos (PDT), Daniel da TV (PSDB), Marcelo Moraes (PTB), Afonso Motta (PDT), Liziane Bayer (PSB), Nereu Crispin (PSL).

Deputados estaduais eleitos
Silvana Covatti (PP), Ernani Polo (PP), Lara (PTB), Sérgio Turra (PP), Adolfo Brito (PP), Kelly Moraes (PTB), Classmann (PTB), Dirceu do Busato (PTB), Elizandro Sabino (PTB), Professor Issur Koch (PP), Frederico Antunes (PP), Gabriel Souza (MDB), Tiago Simon (MDB), Edson Brum (MDB), Costella (MDB), Fábio Branco (MDB), Zanchin (MDB), Gilberto Capoani (MDB), Sebastião Melo (MDB), Edegar Pretto (PT), Valdeci Oliveira (PT), Jeferson Fernandes (PT), Mainardi (PT), Pepe Vargas (PT), Zé Nunes (PT), Sofia Cavedon (PT), Fernando Marroni (PT), Tenente Coronel Zucco (PSL), Ruy Irigaray (PSL), Dr. Thiago (DEM), Eric Lins (DEM), Vilmar Lourenço (PSL), Capitão Macedo (PSL), Any Ortiz (PPS), Pedro Pereira (PSDB), Mateus Wesp (PSDB), Viana (PSDB), Zilá Breiten­bach (PSDB), Eduardo Loureiro (PDT), Juliana Brizola (PDT), Gerson Burmann (PDT), Luiz Marenco (PDT), Gaúcho da Geral (PSD), Paparico Bacchi (PR), Airton Lima (PR), Elton Weber (PSB), Franciane Bayer (PSB), Dalciso Oliveira (PSB), Fábio Ostermann (NOVO), Giuseppe Riesgo (NOVO), Sergio Peres (PRB), Fran Somensi (PRB), Luciana Genro (PSOL), Rodrigo Maroni (Podemos), Neri O Carteiro (Solidariedade).

Comentários

VEJA TAMBÉM...