Política

Câmara exige garantias para repasse de verbas

Hospital Bruno Born precisa assegurar reabertura da Emergência para que convênio seja firmado, dizem vereadores

Créditos: Matheus Aguilar
- Lidiane Mallmann

Lajeado - A reunião que antecedeu a sessão plenária de ontem no Legislativo - sobre a forma de atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Hospital Bruno Born (HBB) e Secretaria da Saúde - seguiu rendendo em plenário. E o conteúdo do encontro extraordinário não agradou alguns dos vereadores. Especialmente a possibilidade de que a Emergência do HBB não seja reaberta após o período de reforma, depois que o pai de um paciente ateou fogo na recepção.

Paulo Tori (PPL) foi enfático. "Não vou aprovar mais nenhum projeto de repasse para o HBB para que cheguem aqui e digam que vão fechar o pronto-socorro. Só vou votar a favor se tiver a certeza de que não vai ser fechado", ressalta. Mozart Lopes (PP) lembra que são quase R$ 3 milhões por mês repassados para a área da saúde no município. "Vamos exigir que seja documentada, por escrito, a garantia de que a Emergência do hospital vai reabrir e atender a comunidade", afirma. Neca Dalmoro (PDT) amenizou o que foi dito na reunião. "Pelo que entendi, será fechada essa espécie de sala de espera e o atendimento será feito com entrada pela lateral. Se aprovarmos o repasse, vamos cobrar os atendimentos", reforça.

Bolsa para residência médica

Os vereadores de Lajeado aprovaram quatro projetos na sessão de ontem. Três graças a um acordo de lideranças em plenário, pois não estavam na ordem do dia. Pela terceira vez, o que pretende instituir o programa de parcerias público-privadas (PPPs) recebeu pedido de vistas de Sérgio Kniphoff (PT) e não foi votado.

O projeto que versa sobre bolsa para médicos residentes foi tratado na reunião das comissões, pela manhã, e aprovado por unanimidade. O coordenador da residência médica da Univates, Carlos Dorneles, frisa a importância da proposta. "É uma bolsa para complementar a renda já recebida, visto que o número de interessados em trabalhar em Lajeado está cada vez menor. A oferta de bolsa em Porto Alegre, por exemplo, gira em torno de R$ 10 mil."

Segundo ele, a cidade possui um médico residente no momento. Com a aprovação, será possível conquistar novos candidatos. "Precisamos atrair os profissionais e fazer com que eles queiram ficar em Lajeado." O coordenador afirma que os médicos residentes serão direcionados para as Unidades Básicas de Saúde que possuem Estratégia Saúde da Família (ESF), onde vão dar suporte aos médicos já contratados.

Votação por acordos

O projeto de lei que abre crédito suplementar de R$ 10.217,58 na Secretaria de Obras e Serviços para devolução de saldo de conta vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Agrário entrou na pauta por acordo das bancadas e passou por unanimidade. O mesmo ocorreu com a matéria que autoriza a contratação temporária, em caráter excepcional, de professor de Educação Infantil. A demanda é para substituir servidora da Escola Municipal Jeito de Criança, Bairro Moinhos D'Água, por motivo de licença-saúde e posterior licença-maternidade.

Bandeira

Líder de governo, Mozart Lopes (PP) colocou uma bandeira nacional a sua frente na bancada do plenário. A manifestação foi uma comemoração do vereador pela prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no último sábado.

Cartaz

Sérgio Rambo (PT) fez uma manifestação diferente. Aproveitou para expor um cartaz questionando a demora na obra de uma creche em Conventos. Ele não falou sobre isso, mas disse que vai utilizar com frequência o recurso.

Saiba mais

Algumas alterações foram providenciadas ao longo do dia para que o projeto fosse votado. Um dos pontos foi a inserção do número de bolsas ofertadas. Serão 14 vagas, com incentivo de R$ 3.256,32. Também foi ajustado o trecho que determina que os residentes não terão direito a 13º e férias, bem como os locais de atuação e processos seletivos.

Comentários

VEJA TAMBÉM...