Política

Caso Hemovale esquenta clima de sessão na Câmara de Vereadores

Publicação de vídeo em rede social voltou a ser tratada na reunião plenária de ontem

Créditos: Matheus Aguilar
Críticas a respeito do vídeo da última semana seguem contundentes - Lidiane Mallmann/arquivo

Lajeado - A polêmica envolvendo o suposto fechamento do Hemovale ainda repercute na Câmara de Lajeado. Mariela Portz (PSDB) voltou ao plenário e se defendeu das acusações de que teria lançado notícia falsa sobre o assunto.

Ela divulgou vídeo na semana passada sobre a ameaça de encerramento das atividades do banco de sangue. A vereadora chegou a ser alvo de duas ações, por parte da coligação de José Ivo Sartori (MDB) junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), solicitando a retirada do material e retratação pública. Na sessão de ontem, Mariela frisou que as duas denúncias foram arquivadas pelo Poder Judiciário. "Colegas vereadores ignoraram fatos, depoimentos, declarações a respeito do Hemovale e chamaram tudo de fake news. O TRE arquivou as denúncias e o Ministério Público (MP) emitiu parecer em meu favor afirmando que não trata-se de fake news", frisou. "A boa notícia disso tudo é que, segundo os colegas vereadores, o banco de sangue não vai ser descredenciado."

Valdir Blau (MDB) manteve o tom crítico para com a colega. "A vereadora apavorou a população dizendo que as pessoas vão morrer. Eu defendo o governo Sartori por sua honestidade", destaca. Carlos Ranzi (MDB) também manteve a linha da última semana. "Tratamos isso no campo das fake news. Nenhuma liminar foi cassada. Talvez tenha sido extinta pelo fato de a vereadora ter retirado o vídeo do ar por vontade própria", descreve.

Presidente da Casa, Eder Spohr (MDB) compara a situação do Hemovale com a que é vivida com o fechamento do pronto-socorro local. "Por coerência, a senhora deveria ir na frente do pronto-socorro e fazer um vídeo citando nome do prefeito e dizer que vai morrer gente. As situações são muito semelhantes", dispara. Marcos Schefer (MDB) fez um alerta para Mariela. "Cuida bem com quem você se mete. Quando tem cachorro grande os pequenos são pegos pelo pescoço."
Paulo Tori (PPL) foi ainda mais incisivo. "Não tem moral para falar em povo. Está em um desespero tão grande para conseguir votos pro seu candidato que desrespeita os outros. Quer crescer pisando em cima dos outros. Mentir na rede social é muito fácil. Quero ver é ir pra junto da população e ficar ao lado do povo."


Manutenção de vias
Os vereadores de Lajeado aprovaram, na sessão de ontem, a abertura de crédito suplementar para a Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Seosp) no valor de R$ 700 mil. Trata-se de um repasse da Câmara para conservação e manutenção de vias urbanas e rurais no município. O projeto de lei foi aprovado com votos contrários de Sérgio Kniphoff (PT) e Paulo Tori (PPL). Muita discussão envolveu a decisão. Kniphoff cita a falta de especificações sobre as vias que serão beneficiadas com as verbas. "Andei muito pela cidade neste último período. Há muito a ser feito e falta a especificação. Depois somos cobrados se vias importantes ficarem de fora", comenta. Colega de bancada, Sérgio Rambo votou a favor, mas também critica a ausência de informações sobre locais a serem atendidos. "No setor público tem que escrever para onde vai o recurso. Depois a população nos cobra e a gente não sabe dizer para quais vias o dinheiro foi destinado."

Paulo Tori já havia anunciado em outras sessões que votaria contra. "Tem outras prioridades. Enquanto não resolvermos, por exemplo, a situação do pronto socorro, não penso que se deva liberar verba da Câmara para outra área. Essa falta de especificação é porque o dinheiro já está carimbado para pagar contas", pontua. Carlos Ranzi (MDB) destaca a importância de melhorias nas vias de Lajeado. "Por isso, queremos acreditar que o recurso vai sim para este trabalho. Cabe a nós, fiscalizarmos."

Comentários

VEJA TAMBÉM...